IV Congresso da CTB acontece em um dia histórico contra Bolsonaro e por Vacina Já

Congressistas debatem e aprovam teses da estratégia política e elegem a nova direção da CTB/SE, que tem Adêniton Santana como presidente-reeleito

Em um dia histórico de grandes atos contra Bolsonaro e por vacina, em todo o País, na tarde do dia 19 de junho (sábado), a Central Estadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB/SE) realizou o IV Congresso.
Virtual e como o tema “Esperançar o Brasil pela Vida, Democracia, Soberania e Direito”, o IV Congresso da CTB/SE reuniu cerca de 80 delegados de sindicatos do campo e da cidade.

Dentre as 63 entidades sindicais, estão filiados à central os sindicatos dos Bancários (as), Enfermeiros (as), Radialistas, Rodoviários, Corretores, Mototaxista, Gráficos, Secretárias, Construção Civil, Trabalhadores (as) da Saúde, Técnicos (as) Rurais, Servidores (as) Públicos Estaduais, Federação dos Trabalhadores (as) da Agricultura. A CTB/SE também conta em suas fileiras dezenas de sindicatos de servidores (as) municipais e de trabalhadores (as) rurais (as).

Além de debater e aprovar as teses da estratégia e política, as (os) congressistas elegeram a nova direção da CTB/SE. Adêniton Santana foi reeleito presidente da central.

O evento foi dirigido pela vice-presidente Nacional da CTB e presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEBSE), Ivânia Pereira. Por cerca de seis horas, o congresso proporcionou um rico debate sobre a situação política e social do país, a questão da luta de gênero e ainda sobre as finanças do Estado de Sergipe. Os temas foram abordados respectivamente por Adilson Araújo (presidente Nacional da CTB), Celina Arêas (secretaria Nacional da Mulher da CTB) e José Antônio dos Santos (presidente do Sindifisco/SE).

Na abertura, Ivânia Pereira destacou que o evento é preparatório para o V Congresso Nacional da CTB, convocado para os dias 12 a 14 de agosto. Um dos objetivos do Congresso é debater e deliberar um plano de lutas para a classe trabalhadora e ainda sobre a fusão entre a CTB e a CGTB. “Em Sergipe, realizamos um amplo debate com a participação das delegadas e delegados com objetivo de fortalecer a CTB e a luta sindical contra a retirada de direitos da classe trabalhadora e a política genocida do presidente Bolsonaro”, disse Ivânia Pereira.

Unificação das centrais

Após os debates foram aprovadas a reforma estatutária para atualização do estatuto da entidade, o plano de lutas para a gestão 2021-2025 e eleita a nova diretoria da CTB/SE.

Com a declaração de posse da nova diretoria, Adêniton Santana pediu as lideranças sindicais presentes que ajudem a regularizar a contribuição financeira da central e no fortalecimento da participação nas lutas gerais da classe trabalhadora.

Do balanço dessa gestão que se encerrou, Adêniton Santana destacou dentre as principais ações, a CTB/SE em 2020 se destacou na luta pela unidade com as demais centrais sindicais “Nesta nova gestão, estaremos ainda mais unidos e vamos priorizar a nossa presença nas lutas gerais”, declarou Adêniton Santana.

Compartilhar: