Por que devemos diminuir assoreamento, recompor a mata ciliar e não poluir?

O processo de canalização dos cursos de água e a retirada de seus meandros, para fins agrícolas, o despejo de esgoto e o uso desordenado do solo próximo dos rios, por exemplo, têm como consequência enchentes, perda de habitat natural, o assoreamento, poluição, o que acaba levando ao fim do corpo de água.

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, o professor José Carlos Mierzwa, do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Escola Politécnica (Poli) da USP, explica porque esses fatores levam à morte do rio. “O oxigênio fica muito baixo e não tem mais como manter vida. A qualidade estética se deteriora muito e as pessoas começam a se afastar do rio, ao invés de se aproximar.”

A morte do Rio do Aterro, na Paraíba, foi ocasionada pela canalização, feita para fertilização do solo e produção agrícola. Mas, conforme destaca Mierzwa, com a retirada da mata ciliar para o cultivo, o solo ficou exposto e teve seus sedimentos e nutrientes carregados para dentro do rio — o que propiciou a proliferação de algas e diminuição da capacidade do rio fluir, por exemplo.

Fonte: Jornal da USP

Compartilhar: