VALEU A LUTA COM PARALISAÇÃO NO HOSPITAL MATER DEI.

By Mery Bahia

Cerca de 300 trabalhadores (as) da obra do Hospital Mater Dei paralisaram as atividades, ontem (16/02), no canteiro localizado na Avenida Vasco da Gama (antiga fábrica da Coca-Cola), em protesto contra diversas irregularidades e desrespeito à CCT – Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

A diretoria do SINTRACOM-BA foi pra cima e cobrou, se reuniu e fechou um acordo com a empresa, que se comprometeu a solucionar. Confira abaixo as irregularidades e soluções.

Irregularidades:

Cobrança de percentual da cesta básica e do café da manhã, quando esses benefícios são gratuitos, como determina a CCT;

Hora Extra – Batem o cartão de ponto, na hora de saída do trabalhador (a) e ele tem que continuar trabalhando, a empresa paga como quiser, tanto nos dias de semana, como nos domingos e feriados;

Área de Vivência – Sanitário químico junto (colado) com o refeitório;

Vale Transporte – Algumas empresas (empreiteiras) se negam a pagar à maioria dos trabalhadores (as);

EPI – Faltam equipamentos de proteção individual, só fornece uma máscara descartável para o trabalhador (a) usar o dia inteiro;

Contracheque – não fornece.

Soluções:

A empresa garantiu que os valores descontados do café da manhã e cesta básica serão devolvidos no pagamento de fevereiro.

As horas extras feitas pelos trabalhadores (as) também serão incluídas no pagamento de fevereiro.

Também se comprometeu a fornecer os contracheque, antes do pagamento do mês, a partir deste mês (fevereiro).

As demais reivindicações serão solucionadas também.

Compartilhar: