Terrorista seguiu as ordens de Bolsonaro

Por Altamiro Borges

O terrorista Roberto Jefferson, agora tratado como “bandido” pelo traíra Jair Bolsonaro, seguiu as ordens do “capetão” ao disparar 20 tiros de fuzil e lançar duas granadas contra os agentes da Polícia Federal que foram cumprir uma ordem judicial de prisão em sua casa no interior do Rio de Janeiro.

Em agosto, o site Metrópoles estampou no título: “Bolsonaro mostra desespero ao falar sobre ser preso: ‘Atiro para matar’”. Segundo a notinha, assinada por Guilherme Amado, o presidente “assustou um interlocutor” ao afirmar que “eu atiro para matar, mas ninguém me leva preso. Prefiro morrer”.

Em outras ocasiões, temendo ser detido por seus crimes e preocupado com a prisão dos seus quatro filhotes e até da primeira-dama “Micheque” Bolsonaro, ele também ameaçou o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e insinuou que resistiria às decisões judiciais.

O chefão do falido PTB, que feriu dois agentes da PF numa ação terrorista que até poderia resultar em mortes, seguiu as orientações do seu “mito” e tentou posar de herói dos fascistas. Será que receberá um indulto do presidente como aquele que foi dado a outro criminoso, Daniel Silveira – que inclusive foi à cena do crime neste domingo (23)?

Charge: Aroeira

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado