Sintsama-RJ, CTB e movimentos sociais realizam ato no Palácio Guanabara em defesa da Cedae

“Soberania é água para o povo. A Cedae é nossa, privatizar é um roubo!”, assim cantaram as diversas entidades do movimento social no ato unificado realizado na porta do Palácio Guanabara nesta quarta-feira, dia 12.

Liderados pelo Sintsama-RJ, a CTB-RJ, MAB, o movimento Baía Viva, a Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, a Conlutas, o Sindsprev, o Sindicato dos Metalúrgicos, a Federação das Associações de Favelas do Rio (FAF-Rio), o Levante Popular da Juventude, a União da Juventude Socialista e outras entidades estiveram na manifestação para cobrar do governo do estado uma solução para a crise da água e investimentos na companhia.

Durante o ato, a população que passava de carro buzinou em apoio aos manifestantes. Foram entregues jornais que explicam a situação de desmonte que a Cedae passa hoje em dia. A empresa demitiu recentemente 54 técnicos experientes e já perdeu mais de 1.000 trabalhadores através do PDV (Plano de Demissão Voluntária), sem até hoje repor esses trabalhadores.

“Esse ato reforça a liderança do Sintsama-RJ no enfrentamento do projeto de privatização do governo do Estado. O Governo do Estado responde com uma proposta que já deu errado em várias partes do mundo. Ele procura resolver um problema que atinge 9 milhões de pessoas com factoides. A questão da privatização está derrotada. Porque não deu certo em outras partes do mundo e não deu certo nos serviços públicos aqui no Brasil. O que a gente pode deduzir é que se propõe uma maracutaia.” – criticou Paulo Sérgio Farias, Presidente da CTB-RJ

Reunião com a Casa Civil

O subsecretário da Casa Civil do governo do estado, Carlos Alberto Lopes, recebeu uma comissão formada pelo Sintsama-RJ (Humberto Lemos, João Xavier e Mário Porto), CTB-RJ (Paulo Sérgio Farias Farias) e FAF-Rio (Marcelo Pepé), que relataram a situação atual da empresa. O Sintsama-RJ defendeu a realização do concurso público para melhorar a atendimento da companhia, denunciou as perseguições aos dirigentes sindicais que foram demitidos e pediu mais investimentos da empresa.

Ao final, o subsecretário da Casa Civil solicitou que as entidades fizessem uma carta relatando toda a situação da Cedae para ser entregue ao governador do Rio de Janeiro.

“A Luta continua. Nossa comissão foi recebida pelo governo do Estado e apresentamos uma série de reivindicações. Eles se disseram abertos ao diálogo, solicitando que encaminhemos por escrito as reivindicações, e, assim faremos. Mas deixando claro que iremos continuar lutando com todas nossas energias contra a privatização da Cedae, por concurso público e por mais investimentos para garantir a universalização do saneamento.” – avaliou o Presidente da CTB-RJ.

Fonte: Sintsama-RJ com informações da CTB-RJ

Compartilhar: