Sem categoria

Serys registra mobilização de trabalhadores rurais

A senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) destacou nesta quarta-feira (27) a realização de mais uma edição do movimento Grito da Terra Brasil, que reúne em Brasília (DF) trabalhadores rurais sob o patrocínio pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e federações estaduais dos trabalhadores na agricultura (Fetags).

Serys registrou que o primeiro Grito da Terra Brasil foi organizado em 1995 e teve um saldo altamente positivo com a criação de uma linha de crédito no valor de R$1,5 bilhão para a agricultura familiar. Desde então, as Fetags também promovem os Gritos da Terra estaduais, que negociam com os governos locais a pauta de reivindicações.

– Hoje, a linha de crédito do governo federal já está em R$ 12 bilhões e a meta do movimento dos trabalhadores e trabalhadoras rurais é atingir o montante de R$ 20 bilhões. Considero esses valores legítimos e necessários para alavancar a agricultura familiar em nosso país – afirmou.

O movimento, lembrou a senadora, contribuiu para a criação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), para a desapropriação de cerca de mil áreas que já beneficiaram mais de 80 mil famílias, para a concessão de cerca de 500 mil benefícios previdenciários rurais represados no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS); e ainda para a melhoria das condições de trabalho dos assalariados rurais.

Serys disse ainda que a pauta do movimento é muito ampla e reúne reivindicações relativas às políticas agrícolas (assistência técnica, crédito), à reforma agrária (desapropriação de terras e criação e manutenção de assentamentos), às questões salariais (cumprimento e ampliação das leis trabalhistas) e às políticas sociais (saúde, previdência, educação e assistência social). A mobilização também defende os interesses das mulheres trabalhadoras e da juventude rural.

Em aparte, o senador José Nery (PSOL-PA) registrou o desempenho do Grito da Terra Brasil, lembrando que atuou nas mobilizações iniciais do movimento no Pará em 1991. O senador também ressaltou a necessidade de democratizar o acesso dos agricultores aos recursos dos fundos constitucionais.

Manifesto

Em seu discurso, Serys também registrou manifesto entregue nesta manha ao presidente do Senado José Sarney em que diversas entidades defendem a aprovação do PLC 180/08, que trata da reserva de 50% de vagas para egressos da escola pública, e manifestam repúdio à liminar concedida ao deputado Flávio Bolsonaro pelo órgão especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, no último dia 25, contra as quotas em universidades daquele estado. O projeto de lei, que divide a opinião dos congressistas, já foi aprovado pela Câmara e tramita atualmente no Senado.

Portal CTB com Agência Senado

Compartilhar: