Sem categoria

Sergipanos promovem ato e se preparam para o Ocupe Brasília, no dia 24

Centenas de sergipanos participaram de um ato pelas Diretas Já nos Arcos da Orla da Atalaia, Zona Sul de Aracaju. Jovens, idosos, homens e mulheres exigiram a saída o presidente ilegítimo Michel Temer e a convocação imediata de eleições diretas para presidente da República.

A manifestação fez parte do esquenta para o Ocupe Brasília, marcado para esta quarta-feira (24). Dois ônibus sairão de Aracaju hoje (22), às 19 horas, rumo à capital federal levando a militância da CTB-SE para o grande ato político convocado pelas centrais sindicais.

Indignados com os rumos desse governo e as recentes denúncias de corrupção envolvendo o presidente golpista e o senador Aécio Neves (PSDB), o povo sergipano ocupou o calçadão da Orla para dar um basta. A manifestação, que teve início por volta das 15 horas e terminou à noite, contou com a participação da CTB-SE, CUT, UGT, PCdoB, PT, MST, UJS e de movimentos sociais.

Temer vai cair

Júlio Cesar Santos Santana, da direção da UJS-SE, criticou o posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que tem provas contra a corrupção praticada por Temer e Aécio e nada faz. Ele assegurou que a União da Juventude Socialistas permanecerá nas ruas lutando contra esse governo ilegítimo e as reformas que ele quer aprovar para retirar direitos dos trabalhadores.

“Nós vamos lutar para tirar esses corruptos do poder e contra as reformas da previdência e trabalhista. Se o povo se unir, o Temer vai cair”, disse. Júlio chamou a atenção para a nota do PSB na qual anuncia a saída da base do governo e mandou um recado ao senador Valadares e o deputado federal Valadares Filho, ambos do PSB. “Vocês não nos representam”, enfatizou.

O presidente da CTB-SE, Edival Góes, conclamou o povo a permanecer nas ruas até que sejam convocadas eleições diretas para que a sociedade brasileira possa eleger o presidente da República. “Não aceitamos o golpe no golpe. Não aceitamos que esse Congresso que aí está, envolto no mar da lama da corrupção, eleja um presidente indiretamente”, afirmou.

Corruptor

Paulo Pedrosa, da direção do PCdoB e presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco), reforçou os argumentos de Góes e disse que o Congresso está desgastado, não tem representatividade e apoia um presidente golpista imposto aos brasileiros pelos setores mais reacionários da sociedade.

“Esse congresso, cujo corruptor disse que repassou recursos para mais de 1,8 mil candidatos a deputado, quer eleger indiretamente o presidente. Não aceitamos isso. Temos que estar nas ruas para derrubar Temer e reconquistar o que nos foi tirado com o impeachment de Dilma Rousseff”, ressaltou.

Adilson Azevedo, diretor do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb-SE), disse que tempo e circunstância andam juntos. Relembrou a estratégia do Congresso em fechar a pauta para fragilizar o governo de Dilma.
“Dizíamos que haveria um golpe e aconteceu, mas metade do povo brasileiro ficou na dúvida. Diziam que éramos falastrões e baderneiros. Não batemos panela, mas ficamos firmes na luta. Hoje, o que dizíamos em 2015, se concretizou. O presidente do golpe é um corrupto e há provas que atestam isso. Não aceitamos sua renúncia. Queremos vê-lo desmoralizado e na cadeia”, salientou.

Niúra Belfort – CTB-SE

Compartilhar: