Rumo à greve geral, metroviários de SP aprovam paralisação de 24h contra as reformas de Temer

Reunidos em assembleia na noite da terça feira (11), trabalhadores do sistema metroviário de São Paulo aprovaram a participação na greve geral de 24h, convocada pelas centrais sindicais para o dia 28 de abril.

Com a deliberação os metroviários se unem à inúmeras categorias e reforçam de maneira decisiva a mobilização, que promete parar o país contra as reformas trabalhista e Previdenciárias de Michel Temer e a terceirização ilimitada aprovada na Câmara Deputados.

No dia 15 de março, quando movimentos sociais e sindical realizaram uma grande mobilização em preparação à greve geral, a participação dos metroviários, que paralisaram o sistema por 24h em São Paulo, foi crucial e contou com o apoio, inclusive, da população que utiliza o sistema.


Metroviários param em São Paulo; mais de 90% da categoria diz não ao desmonte da Previdência
Apesar da manipulação midiática, usuários do metrô de São Paulo manifestam apoio à paralisação

Para Wagner Fajardo, coordenador-geral do Sindicato dos Metroviários e integrante da CTB, com a participação dos trabalhadores em transporte, o sucesso do movimento tende a se repetir. “A adesão dos metroviários e de outros trabalhadores de transporte com certeza contribuirá decisivamente para o sucesso do movimento em São Paulo e incentivará a adesão de outras categorias. Com a unidade do movimento sindical, no dia 28 realizaremos uma grande uma grande greve geral, como nossos vizinhos argentinos que deram um belo em exemplo paralisando o país contra os ataques ao direitos dos trabalhadores no último dia 06. Aqui no Brasil, vamos mostrar que não aceitaremos qualquer retirada de direitos”, afirmou Fajardo.

Ainda durante a assembleia, a categoria aprovou ainda uma grande mobilização da categoria contra o processo de terceirização das bilheterias do Metrô com a realização de uma plenária e reuniões nas áreas.

metroviarios greve1503 baixa 3

 

Portal CTB

Compartilhar: