Sem categoria

Rio de Janeiro diz NÃO aos pacotes de Temer e Pezão

Mais de dez mil cidadãos cariocas tomaram as ruas do Rio de Janeiro num grande ato unitário puxado pelas Frentes Brasil Popular, de Esquerda e Povo Sem Medo contra a PEC 55 e contra o pacote de maldades do Governador Pezão. O ato se concentrou no fim da tarde na Igreja da Candelária e seguiu em direção à Assembleia Legislativa. O tesoureiro da CTB-RJ, Mário Porto, falou com exclusividade ao Portal CTB-RJ sobre os motivos que levam a esse ato:

“A CTB repudia veementemente o governo do Estado que coloca na conta dos servidores a possibilidade de pagamento do rombo que foi criado pela falta de gerência do governo que aí está. Eles causaram o buraco financeiro que o Estado se encontra com isenções fiscais e querem colocar essa farra na conta do servidor. Nós não podemos aceitar isso, assim como também não aceitamos que a população pague isso com o aumento de impostos e estamos nas ruas para exigir que essa situação seja revertida.”

O Diretor de Políticas Sociais da CTB-RJ, José Carlos Madureira valorizou a unidade das frentes e ressaltou a importância dela no momento em que, no Brasil e no Mundo, há um avanço das forças conservadoras:

“A Manifestação de hoje é contra a perda de direitos, onde as 3 frentes estão se organizando de forma unitária. Esse ato se faz importante pela luta contra perda de direitos que o governo golpista quer infligir aos trabalhadores e pela unidade das 3 frentes para enfrentar os retrocessos de Temer. Depois da ponte para o inferno de Temer, agora temos o trampolim para o inferno de Trump nos Estados Unidos.”

Os manifestantes tomaram, de forma pacífica, as ruas do centro da cidade bradando em palavras de ordem que haveria resistência às atrocidades promovidas pelos governos Temer e Pezão. Em uma das palavras mais repetidas, cantavam que “não tem arrego, você tira meu salário e eu tiro seu sossego.”

A Diretora de Universidades Públicas da União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro (UEE-RJ), Natália Trindade, uma das lideranças estudantis presentes na manifestação, lembrou da importância dos cariocas lutarem contra as políticas promovidas pelos governos do PMDB que atacam os estudantes e os trabalhadores:

“A UEE-RJ entende que esse momento é crucial para que barremos os retrocessos tanto a nível nacional, quanto a nível estadual. Nós estamos há tempos lutando contra o desmonte do Estado promovido pelo governo estadual do Pezão, que é do PMDB, mesmo tem a mesma base do golpista Temer e, quando hoje tomamos as ruas para barrar a PEC 55 que congela os investimentos em educação e saúde. O Rio de Janeiro é o estado que tem o maior número de universidades e institutos federais, então é de suma importância que lutemos contra essa PEC, sem esquecer com o pacote do Pezão que visa acabar com o serviço público, com investimentos na educação, na saúde, na segurança pública e na assistência social como um todo e que já há alguns anos vem diminuindo os orçamentos das universidades, institutos e escolas estaduais. Então estamos nas ruas contra o Temer, contra o Pezão e contra toda essa corja que não diminuem os cargos comissionados, que não enxugam com eles, mas atacam a educação, a saúde e a assistência social.”

O Presidente da União da Juventude Socialista (UJS), Igor Mayworm, defendeu a formação de uma grande frente democrática para superar a escalada conservadora. Nas palavras de Mayworm:

“A gente acha que deve ser construída uma grande frente democrática, contra essa escalada conservadora, para superar a crise política antes de 2018. Os movimentos vão lutar até o último segundo em defesa da educação, da saúde e dos direitos sociais.”

Ao chegar na ALERJ, o ato se deparou com um forte aparato policial que, mais uma vez, usou da violência para dispersar a manifestação democrática. O recado, no entanto, foi dado. O povo está nas ruas para combater os retrocessos de Pezão e Temer. Não haverá arrego e a CTB-RJ seguirá firme na luta ao lado do povo do Rio de Janeiro.

Da CTB-RJ

Compartilhar: