Sem categoria

Não aceitaremos retirada de direitos. Haverá luta e resistência, avisa dirigente da CTB-SP

Desde as primeiras horas desta quinta-feira (22), atos e protestos tomam as ruas de todo o Brasil no Dia Nacional de Paralisações. Em São Paulo, centenas de pessoas se reúnem em frente à porta da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), onde os presidentes das centrais sindicais apresentam a pauta em defesa dos direitos sociais e trabalhistas. 

Para Renê Vicente, vice-presidente da CTB São Paulo e presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema), as ameaças do governo golpista colocam em perigo direitos consagrados. Vicente reafirmou a luta da CTB contra o governo sem voto de Michel Temer. 

Em sua fala, o dirigente assinalou o papel da Fiesp que se soma aos que defendem a Reforma da Previdência e Trabalhista e a aplicação de uma jornada de 80h. “Se Skaff quer 80h semanais para jornada ele que trabalhe. Não pagaremos a conta da crise que é do sistema financeiro. Não aceitaremos reformas, não aceitaremos retirada de direitos. Haverá luta e resistência”.

 

Portal CTB com Joanne Mota

Compartilhar: