Luta dos professores continua na porta da Câmara Municipal de São Paulo

Desde as 6 horas da manhã desta quinta-feira (15), a concentração dos professores e professoras municipais segue firme contra o Projeto de Lei 621/2016, que dificulta o acesso à aposentadoria para mais de 200 mil servidores da capital paulista e abre caminho para  privatização da previdência da categoria.

“São Paulo testemunhou uma cena brutal. A política de João Doria e de Geraldo Alckmin atacaram trabalhadores e trabalhadoras que estão na rua para garantir seu direito à aposentadoria”, lamentou Claudete alves, presidenta do Sedin (Sindicato dos Educadores da Infância), direto da porta da Câmara em vídeo exclusivo para o Portal CTB.

Wagner Gomes, secretário geral da CTB, está acompanhando o ato nesta quinta e reiterou o repúdio da Central contra a violência que ocorreu nesta quarta (14). “Testemunhamos uma verdadeira praça de guerra. Estamos juntos com os professores e professoras contra mais esse ataque. E alertamos: a luta apenas começou”, avisou o dirigente.

whatsapp image 2018 03 15 at 10.49.15

Projeto entreguista

A dirigente destacou que a a estratégia do prefeito de São Paulo João Doria é fazer o que o Temer não conseguiu. “Doria que sinalizar para o mercado e mostrar que tem condicões de representar seus interesses”, declarou ela.

Claudete destacou que a palavra de ordem é ressitência total. “Vamos fazer assembleia hoje para organizar a luta. A orientação é lutar e organizar a greve da categoria para enfrentar o projeto entreguista de João Doria”, completou. 

Portal CTB

Foto destaque: Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo

Compartilhar: