Sem categoria

Juventude rural da Fetaesc envia carta proposta para governo de Santa Catarina

Os participantes do 2º Congresso Estadual da Juventude Rural redigiram uma carta proposta com sugestões de políticas públicas voltadas à juventude rural e entregaram para representantes dos governos federal e estadual nesta quarta-feira (1). O documento foi elaborado por representantes das Comissões Municipais e Regionais de Jovens Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares e propõe estratégias para garantir o acesso a terra, além da continuidade da agricultura familiar no estado e a sucessão rural nas propriedades. O secretário adjunto de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, recebeu a carta proposta, em nome o governador Raimundo Colombo, durante o evento que acontece em Florianópolis.

Entre as sugestões apresentadas estão a melhoria no acesso à informação através da internet, a educação contextualizada, que valorize o agricultor, e a recuperação de estradas rurais. De acordo com o secretário adjunto Spies, a permanência dos jovens no campo como sucessores de seus pais na gestão e operação das propriedades rurais é estratégica para o setor agropecuário catarinense. “Esse é um grande desafio, pois os jovens têm empregabilidade em vários setores urbanos e, portanto, têm a opção de sair ou ficar no campo. O agricultor do futuro será por opção e não por acaso”.

Para se tornarem futuros profissionais do agronegócio, Spies acredita que os jovens devem agir com ética, aplicando tecnologia de ponta, que aumentem a produtividade das lavouras e criações e a renda. “As políticas públicas estratégicas para aumentar a produtividade no campo precisam proporcionar estradas de boa qualidade para escoar a produção, acesso à internet e telefonia e energia elétrica capaz de atender as demandas de modernas máquinas e equipamentos”, ressalta.

Atento às demandas dos jovens rurais, o Programa SC Rural oferece o curso de Gestão, Liderança e Empreendedorismo, que prepara os jovens para a gestão da propriedade e cria alternativas de renda, lazer e cultura. O processo de formação traz dez alternâncias, onde o jovem recebe informações técnicas sobre temas que podem ser aplicados nas propriedades. Ao final do curso todos os alunos fazem um plano de negócios, que pode vir a ser apoiado pelo Programa SC Rural. Cada projeto pode ser individual ou coletivo e receber de R$ 10 mil a R$ 45 mil, sendo 80% a fundo perdido e 20% de contrapartida dos alunos.

Quem participa do curso e tem idade entre 16 e 29 anos pode contar com um programa da Secretaria de Estado da Agricultura que financia a aquisição de kits de informática. Os recursos são utilizados para a compra de notebooks, computadores de mesa e/ou impressoras, sendo que o Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) paga 50% do valor para operações de até R$ 3 mil. Os jovens têm até três anos para efetuar os pagamentos, em parcelas anuais, e com desconto de 50% para pagamentos até a data de vencimento.

A Secretaria desenvolve ainda programas que levam internet e telefonia para o meio rural. O Programa de Inclusão Digital Beija-flor oferece telecentros equipados com computadores e acesso à internet, instalados em locais de acesso público, como escolas, colônia de pescadores, bibliotecas públicas e associações de moradores. Os Programas de Telefonia Fixa e Internet no Meio Rural e de Comunidades Rurais Digitais que levam internet e telefonia fixa às comunidades rurais do estado.

2º Congresso Estadual da Juventude Rural

O evento reuniu cerca de 150 jovens do meio rural em Florianópolis nesta terça e quarta-feira (31 e 1º) para debater as oportunidades e desafios na sucessão da propriedade rural. O Congresso é promovido pela Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Santa Catarina (Fetaesc) e antecede o Festival Nacional da Juventude Rural que acontece este mês em Brasília.

Fonte: Fetaesc

Compartilhar: