Funcionários ocupam Casa da Moeda contra privatização

Ocupantes também protestam contra a retirada de direitos. Governos dos maiores países do mundo não abrem mão de produzir seu próprio dinheiro. A privatização compromete a soberania nacional e gera insegurança econômica

Funcionários ocuparam na tarde desta sexta-feira (10) a sede da Casa da Moeda, no Rio de Janeiro. Eles protestam contra a retirada de direitos e o plano do governo Bolsonaro de privatização da empresa. Segundo relatos dos ocupantes, havia 800 pessoas no prédio da estatal na noite de ontem.

A empresa tem aproximadamente 2 mil funcionários, e 137 pessoas aderiram aos dois planos de demissão voluntária lançados em 2019. A Casa da Moeda foi incluída pleo governo Bolsonaro, em 2019, no Plano Nacional de Desestatização, o que obriga, na prática, seus gestores a fazerem cortes e ajustes para preparar a empresa para a venda.

Em entrevista à revista Expressão, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Casa da Moeda do Brasil, Aluizio Junior, falava sobre a narrativa do governo de que a privatização é necessária em função do prejuízo da empresa.

“Em 2017, o governo descontinuou o serviço de Sicobe, que controlava a produção dos envasadores de bebidas frias como a Coca-Cola, Ambev, Itaipava e Petrópolis, que representavam, naquele ano, 60% do faturamento bruto da Casa da Moeda. Então, o governo retira R$ 1,4 bilhão do faturamento da Casa da Moeda, fazendo com que no primeiro ano depois de 320 anos de existência da empresa, que a Casa da Moeda desse um prejuízo fabricado pelo próprio governo”, conta.

O movimento recebeu manifestações em solidariedade à ocupação nas redes sociais. “Todo apoio à luta dos moedeiros que ocupam a Casa da Moeda em um protesto contra a privatização, que já dura mais de seis horas. Há relatos de que a diretoria da estatal chamou a polícia, mas os trabalhadores permanecem no local”, disse, em postagem no Twitter, a Federação Única dos Petroleiros (FUP), às 22h23 desta sexta-feira.

“Todo o apoio aos trabalhadores da Casa da Moeda, que se mobilizam para impedir uma privatização que não faz qualquer sentido! Bolsonaro e Paulo Guedes fazem muito mal ao Brasil para sati$fazer os amigos milicianos e da máfia financeira internacional. #PrivatizarFazMalAoBrasil”, postou o deputado federal e líder do PT na Câmara dos Deputados Paulo Pimenta (RS).

De acordo com o repórter Marcelo Auler, em seu blogue, a entrevista do diretor de gestão da Casa da Moeda, Fabio Rito Barbosa, ao Jornal GloboNews – Edição das 10h, na manhã da sexta-feira “serviu como o estopim que provocou a paralisação dos cerca de 2 mil funcionários da estatal”.

Os riscos da privatização da Casa da Moeda

Reportagem de Rosely Rocha, mostra o perigo de entregar a Casa da Moeda. Das 15 maiores economias do planeta (incluindo o Brasil), todas produzem seu próprio dinheiro.

“A preocupação dessas nações é a falsificação da própria moeda, com uma ‘enxurrada’ de dinheiro em circulação, o que afetaria a economia e ainda a possibilidade de não entrega do dinheiro fabricado”, analisa o diretor de comunicação do Sindicato Nacional dos Moedeiros (SNM), Edson Francisco da Silva.

“Se colocarem mais dinheiro em circulação do que é necessário, se destrói a economia de um país. A Alemanha privatizou a fabricação de seu próprio dinheiro em 2000 e já em 2009 voltou atrás por insegurança monetária. O Brasil é um grande país com reservas naturais, água, biodiversidade e petróleo. Somos importantes no mundo, e não podemos ficar reféns de interesses econômicos e estratégicos de estrangeiros”, avalia o dirigente.

Via Rede Brasil Atual

Compartilhar: