Em defesa do emprego, SindQuímicos de Barcarena (PA) mobiliza a categoria

“É hora de união entre toda as trabalhadoras e trabalhadores da cadeia produtiva do alumínio, é momento de intensificarmos a mobilização para mantermos nossos empregos”, afirma Gilvandro Santa Brígida, presidente do Sindicato dos Químicos de Barcarena, no Pará. 

Para isso, o SindQuímicos convida à participação do Ato Público Contra as Demissões, com concentração na sede do sindicato, na Vila dos Cabanos,em Barcarena, às 7h e em frente á 1ª Vara de Justiça do Trabalho de Abaetetuba. O sindicalista acentua a necessidade de união, porque “estão querendo impor os custos dos erros da empresa e dos órgãos de fiscalização sobre os ombros dos trabalhadores e o SindQuímicos não vai admitir que isso ocorra”, garante.

Ele explica ainda que a partir do momento em que a Justiça determinou um embargo de 50% da produção da mineradora norueguesa Hydro Alunorte por causa do transbordamento de rejeitos químicos nos dias 16 e 17 de fevereiro, o sindicato entrou com ação na Justiça para impedir demissões.

Leia mais

CTB-PA e SindQuímicos defendem novo modelo de desenvolvimento em audiência pública no Pará

A 1ª Vara de Justiça do Trabalho de Abaetetuba (PA) atendeu ao pedido do sindicato e concedeu uma liminar não só preservando os postos de trabalho da empresa Hydro Alunorte, mas também da Albrás, de empresas terceirizadas e até as empresas localizadas em Paragominas, através do lastro jurídico.

Mas Brígida denuncia que a Hydro questiona a liminar na Justiça, mostrando “que tem interesse em sacrificar suas trabalhadoras e trabalhadores com a ameaça real de demissão”. De acordo com ele, a empresa quer “transferir os custos do embargo a quem não tem nenhuma culpa sobre o ocorrido, aos trabalhadores”.

A direção do SindQuímicos organiza a categoria para a resistência. “Só a mobilização massiva e organizada da classe trabalhadora pode garantir sobrevida à liminar permitindo a integridade dos postos de trabalho, não podemos abrir mão do trabalho”, sinaliza Brígida.

E complementa chamando as trabalhadoras e trabalhadores a participar ativamente da campanha pelo emprego.  “Não cruze os braços, faça parte dessa corrente e esteja presente e ajude a mobilizar colegas no ato em defesa da liminar que garante a manutenção dos postos de trabalho”.

Portal CTB com informações da CTB-PA

Compartilhar: