Sem categoria

Em assembleia, educadoras e educadores mantêm a greve e exigem respeito, em Salvador

Há um ditado popular que diz: “uma andorinha só não faz verão”. Mas uma categoria unida faz toda a diferença. E é o que está acontecendo com as educadoras e os educadores da Rede Municipal de Ensino de Salvador.

Liderados pela APLB-Sindicato, legítima representante das trabalhadoras e dos trabalhadores em educação, os profissionais mostram cada vez mais que “não estão para brincadeira”. A assembleia, que mais uma vez contou com grande adesão da categoria, realizada na tarde desta segunda-feira (30), aprovou com esmagadora maioria, a manutenção da greve que já dura 21 dias.

São 21 dias de descaso pelo Executivo Municipal que é o responsável pela greve, pois numa atitude tirana não senta para negociar. Ao contrário, age de forma irresponsável mantendo algumas escolas abertas sem professores.

A Mesa Diretora que conduziu a assembleia realizou, antes da votação, uma avaliação do movimento grevista e mais uma vez destacou que quem decide os rumos do movimento é a categoria, com votação em assembleia.

O movimento tomou conta das ruas e a população já sabe de quem é a culpa, quem é o responsável por alunos estarem sem aulas. “O professor quer trabalhar”, “Negocia Neto”, “Deixe de tirania”, são algumas palavras de ordem ditas pelo povo quando as manifestações dos educadores passam pelas ruas da cidade.

aplb sindicato greve salvador 2018

Após a assembleia os professores saíram em caminhada em direção ao Fórum Ruy Barbosa, em protesto, com o objetivo de pressionar o prefeito ACM Neto que segundo agenda, estaria no Salão Nobre do Fórum Ruy Barbosa para participar de homenagem e, ao mesmo tempo, buscar assinatura para um convênio com o TRE na pessoa do ministro Luiz Fux, do STF, também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

E foi lindo de se ver, as canções de luta, os celulares com lanternas acesas, ao cair da noite. O professor não cansa! Seu sobrenome é luta!

Na assembleia foi aprovada uma extensa agenda de atividades para toda a semana. Essa agenda foi antes, discutida em reunião do Comando de Greve realizada no auditório da APLB-Sindicato, na manhã desta segunda-feira (3).
Na sexta-feira, 3 de agosto, será realizada uma nova assembleia. Confira a agenda de luta, mas fique atento, pois pode sofrer alterações no caso de negociações com o Executivo Municipal.

Foi aprovada em assembleia a Campanha “Eu Assino pela Educação”.

O objetivo da campanha é colher, o máximo de assinaturas possível da população em defesa da educação e dos nossos direitos. O abaixo assinado, além dos stands abaixo discriminados, estará disponível no portal da APLB-Sindicato para a impressão e distribuição.

Agenda da greve:

Quarta-feira (1º), às 14h: A coleta de assinaturas da Campanha “Eu Assino pela Educação” deve ter a seguinte dinâmica, um stand fixo na Praça Municipal e acompanhar a abertura dos trabalhos na Câmara dos Vereadores.
Quinta- feira (2), às 9h: Coleta das assinaturas por Polos:
Os stands estarão em locais estratégicos nos polos e outros locais estratégicos da cidade:
Centro: Piedade, Lapa
Cidade Baixa: Terminal Ferroviário
Cajazeiras – Rótula da Feirinha
Cabula – UNEB
Liberdade: Plano Inclinado
Pirajá – 1ª Etapa de Castelo Branco
São Caetano – Largo da Geral
Subúrbio I – Luso
Subúrbio II – Praça da Revolução
Itapuã – Largo da Sereia
Orla: Rio Vermelho, Largo da Mariquita
*Estrutura dos Stands: Mesa, Faixa, Som, Panfleto, bandeiras da APLB,
Sexta feira (3), às 14h: Assembleia, saída em caminhada para a Prefeitura de Salvador com entrega do abaixo assinado.
A assembleia contou com a presença do vereador Hilton Coelho (PSOL), e as vereadoras Marta Rodrigues (PT), e Aladilce Souza (PCdoB), o dirigente da CTB nacional Aurino Pedreira, além da secretária estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia e presidenta municipal do PCdoB de Salvador, Olívia Santana , que apoiam o movimento e denunciam o Executivo Municipal pela sua postura irredutível.

Fonte: APLB-Sindicato. Fotos: Getúlio Lefundes

Compartilhar: