Sem categoria

CTB-RJ participa da Assembleia Nacional da Paz e da eleição da nova diretoria

A CTB-RJ participou, representada pelo Secretário de Finanças Mário Porto, da Assembleia Nacional da Paz, realizada entre os dias 17 e 18 de Novembro e do Conselho Mundial da Paz, realizado nos dias 18, 19 e 20 de Novembro, ambos no Estado do Maranhão. A 4ª Assembleia Nacional do Cebrapaz, que elegeu uma nova direção, com Antônio Barreto (Barretinho) como presidente da entidade, Jussara Cony como vice-presidenta e Wevergton Brito como secretário-geral, foi realizada na cidade de São Luís, capital do Maranhão, e reuniu diversos representantes dos movimentos sociais das mais variadas partes do Brasil num encontro em defesa da paz mundial.

Barretinho sucede a fundadora do Cebrapaz, Socorro Gomes, que deixa a entidade depois de 12 anos. A 4ª Assembleia teve a participação de 123 delegados e convidados, representando 17 estados (Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo).

Socorro Gomes: Ampliar a luta pela paz

A assembleia nacional do Cebrapaz foi antecedida por uma intervenção cultural (Chico Novo canta João do Vale) e teve início com uma mesa de representação das entidades amigas presentes, Liége Rocha (União Brasileira de Mulheres – UBM), Bartíria Lima (Conselho Nacional das Associações de Moradores – Conam), Fábio Palácio (Fundação Maurício Grabois – FMG) e Flávio Franco (Associação Nacional dos Pós-Graduandos – ANPG).

O secretário de comunicação e articulação política do estado do Maranhão, Márcio Jerry, representou o governador Flávio Dino e saudou a realização do evento dando boas vindas aos delegados, delegadas e convidados. Logo após a mesa de abertura, a mesa de trabalho da Assembleia assumiu suas funções, sendo composta por Socorro Gomes, Barretinho, José Reinaldo, Jussara Cony, Wevergton Brito, Teresinha Braga, Antonieta Shirlene, Francisco Manoel de Assis (Kiko), Thiago Cassis e Marcos Costa.

A presidenta do Conselho Mundial da Paz (CMP) e então presidenta da gestão que encerrava seu mandato, Socorro Gomes, fez uma intervenção inicial apresentando o conteúdo do “Documento Político para debate na 4ª Assembleia”.

Socorro agradeceu ao povo e ao governo do Maranhão pela acolhida, denunciou os gastos milionários da indústria bélica em contraste com tantos seres humanos famélicos e desnutridos e conclamou a ampliar a luta pela paz: “O que acontece no cenário internacional afeta diretamente o dia-a-dia da população e principalmente dos trabalhadores. A fome, a injustiça, a opressão, a violência, atinge todos os povos do mundo em menor ou maior grau e as causas são, em essência, as mesmas. Fazer com que isso seja do conhecimento geral, e que as pessoas se mobilizem em torno da bandeira da paz mundial, exige um trabalho árduo, paciente e cotidiano de divulgação e esclarecimento (…) Nosso desafio é o de ligar as lutas concretas do povo com a causa da paz, fazendo com que se amplie o número de ativistas desta frente”.

O dirigente Barretinho, da Bahia, assume a presidência do Cebrapaz até 2018

Terminada a intervenção inicial de Socorro Gomes, que teve que se dividir entre a Assembleia do Cebrapaz e a reunião do Comitê Executivo do Conselho Mundial da Paz, que ocorria simultaneamente, foram abertas as inscrições para o plenário. Fizeram uso da palavra 34 representantes de núcleos estaduais.

O plenário apresentou também diversas emendas ao documento, todas incorporadas pela comissão de redação, coordenada pelo companheiro José Reinaldo. Também foram aprovadas 12 moções. De solidariedade ao povo sírio, ao povo venezuelano, ao acordo paz na Colômbia, ao povo saarauí (veja aqui o vídeo que registrou o momento da leitura desta moção, com a presença de Mohamed Zrug, embaixador da República Árabe Saarauí Democrática), ao povo palestino, a Cuba, ao povo turco, ao povo porto-riquenho, ao povo haitiano, às ocupações de escolas e universidades no Brasil, à luta do movimento social brasileiro para barrar a “PEC da morte”, e uma moção de repúdio à mineradora Samarco/Vale e suas controladoras pelo rompimento da barragem de Fundão em Mariana (MG), no dia 05 de novembro de 2015.

As moções serão publicadas em breve.

Eleição da nova diretoria

Após a aprovação do Documento Político da 4ª Assembleia, Socorro Gomes fez a apresentação da proposta de nova direção para o próximo triênio. Ao anunciar que a Direção cessante propunha, para sucedê-la, o nome de Barreto, o plenário reagiu com aplausos e vivas, mostrando a grande unidade em torno do novo presidente. A diretoria foi eleita por aclamação. Socorro Gomes recebeu diversas homenagens, por parte dos núcleos presentes.

Para Barreto, “Socorro Gomes é um exemplo de lutadora consequente. A existência do Cebrapaz deve muito a Socorro Gomes, que seguirá no Cebrapaz e será sempre uma referência para nós”. Socorro manifestou completa confiança na capacidade de Barreto e da diretoria eleita de fazer avançar o trabalho e declarou que, depois de 12 anos de mandato como presidenta do Cebrapaz, seis deles acumulando também a presidência do Conselho Mundial da Paz, irá poder se dedicar mais às tarefas do CMP e seguirá colaborando com o Cebrapaz, inclusive integrando seu Conselho Consultivo.

Logo em seguida ao discurso de posse de Barreto, a Assembleia recebeu a visita da Presidenta Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Luciana Santos, que destacou o papel da luta pela paz e da solidariedade internacional como parte indispensável da batalha de ideias que se trava contra o conservadorismo. Luciana também homenageou Socorro Gomes por sua trajetória e saudou o novo presidente do Cebrapaz, segundo a dirigente comunista, um unanimidade no campo da luta internacional.

Um show de reggae encerrou com alegria a 4ª Assembleia Nacional do Cebrapaz, mas os ativistas da paz continuam em São Luís, pois nesta sexta-feira (18) está sendo realizada a Assembleia Mundial da Paz que irá até o sábado. No domingo (20) será a vez da Conferência Mundial da paz. Em tempos de avanço conservador, quatro dias dedicados à paz e a solidariedade internacional são um alento e um estímulo.

Direção Nacional eleita para o triênio 2016-2018

Diretoria Executiva:

Presidente: Antônio Barreto de Souza (Barretinho)
Vice-presidente: Jussara Cony
Secretário-Geral: Wevergton Brito Lima
Diretora de Comunicação: Moara Crivelente
Diretor de Planejamento e Patrimônio: Sérgio Benassi
Diretor de Pesquisas: José Reinaldo
Diretora de Relações Sindicais: Madalena Guasco
Diretor de Cultura: Teresinha Braga
Diretora de Imigração: Mariana Serafini
Diretor de Intercâmbio com os movimentos sociais: Thomas de Toledo

Diretores Nacionais:

Alan Kardec – Maranhão
Antonieta Shirlene Mateus – Minas Gerais
Diego Pautasso – Rio Grande do Sul
Francisco Manoel de Assis França – Paraná
Luis Gustavo Guerreiro Moreira – Ceará
Marcos Costa – Rio de Janeiro
Marcos Tenório – Distrito Federal
Maria Ivone Santana Souza – Bahia
Mônica de Jesus Silva Santos – Espírito Santo
Rodrigo Ferreira de Moraes – Pará
Thiago Cassis – São Paulo
Vivian Régia Bandeira da Silva – Amapá

Conselho Fiscal:

Heloisa da Silva Vieira
Maria José de Souza
Simone Esterlina

Conselho Consultivo:

Adilson Araujo
Caio Botelho
Gilson Reis
Helio Matos
Jamil Murad
Marcelo Fernandes
Marcionila Fernandes
Raul Carrion
Rita Coitinho
Socorro Gomes

Conselho Mundial da Paz ocorre pela primeira vez no Brasil

O Conselho Mundial da Paz começou no dia 19 e foi aberto pelo Governador do Maranhão Flávio Dino. Flávio deu as boas-vindas aos participantes e falou sobre os desafios de seu projeto político que busca diminuir as desigualdades sociais e regionais no Maranhão, considerado um dos estados mais desiguais do país. “Lideramos uma frente político que procura fomentar o espírito responsável por trazer todos vocês à nossa cidade, o espírito de que só é possível um mundo em paz quando há justiça para todos. A justiça é a mãe e a irmã da paz e é por isso que nós procuramos representar este projeto político com uma ampla frente que une partidos de várias vertentes”.

Em 2014, Flávio Dino foi eleito governador do Maranhão em uma coalizão política que incorpora diversos partidos a fim de combater as décadas de coronelismo do governo de José Sarney (PMDB).

O governador explicou aos participantes que os princípios de paz e boa convivência são responsáveis por nortear este projeto político. “[Portanto] consideramos que o nosso estado vive um momento que nos permite contribuir, aqui desta nossa porção territorial do mundo, para que estes valores sejam vitoriosos”.

“Nós procuramos representar estas ideias generosas, as ideias de justiça e igualdade que ultrapassam as noções de intolerância, de ódio e de medo. Por isso consideramos que este encontro se situa plenamente nos objetivos do nosso governo”, finalizou o governador.

Esta é a primeira vez que o Congresso do Conselho Mundial da Paz acontece no Brasil. A presidenta, Socorro Gomes, deu início à mesa de trabalhos que segue até domingo (20), quando os participantes irão emitir uma resolução para nortear a luta pela paz nos próximos três anos.

Para Socorro, a união entre os movimentos que integram o Conselho Mundial da Paz é fundamental para “a promoção da luta unitária pela paz, pela justiça, pela soberania popular e nacional, pelo progresso comum e por um mundo livre do colonialismo, da ocupação, da opressão, da exploração, do imperialismo e da guerra”.

“O Conselho Mundial da Paz está chamado a desempenhar importante papel na atual situação mundial em que desperta a consciência dos povos. Como assinalamos, desde a sua fundação, o CMP é uma organização ampla, de convergência de todos os que lutam contra a guerra, as armas nucleares, a militarização, o intervencionismo e as violações dos direitos dos povos e nações”, afirmou a presidenta.

Ao final, Socorro fez votos de que os três dias de trabalho sirvam como impulso para fortalecer o Conselho Mundial da Paz e os movimentos pela paz e pela solidariedade entre os povos do mundo.

Da CTB-RJ, com informações do Portal Vermelho

Compartilhar: