Sem categoria

Coordenadora do Núcleo de Igualdade Racial da CTB-SP quer sindicalismo na luta antirracismo

A dirigente do Sindicato dos Professores de Campinas e Região (Sinpro-Campinas), Lidiane Gomes, foi eleita coordenadora do Núcleo de Igualdade Racial na histórica Plenária do tema da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em São Paulo (CTB-SP), ocorrida no sábado (27/5).

“Foi incrível a realização da primeira Plenária da Igualdade Racial da CTB-SP. Estamos muito próximos de realizar um antigo sonho da central no estado, que é o de criar a Secretaria de Igualdade Racial”, diz Gomes.

Ela que é professora de História e Geografia afirma que o racismo é muito forte no estado de São Paulo e “o movimento sindical necessita estar atento a isso, pois acontecem discriminações demais no mundo do trabalho”.

O processo de industrialização no início do século 20 no Brasil é lembrado por ela para ressaltar a discriminação sofrida pelos ex-escravos. “A indústria capitalista separa o trabalhador que é bom e o que não é para favorecer a sua exploração”, acentua.

Com isso, de acordo com Gomes, o racismo se perpetua no país e se mantém “muito forte na sociedade e principalmente na elite paulista, porque os negros foram ecxluídos do mercado de trabalho formal. Assim forjaram o signo de ‘vagabundos’ para o nosso povo”.

A sindicalista reforça também a necessidade de um olhar mais profundo sobre a questão das mulheres negras, “duplamente discriminadas”. Ela lembra que as pesquisas confirmam que as mulheres negras ganham menos, são as primeiras a perder o emprego e as últimas a se realocarem”.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

Compartilhar: