Sem categoria

Conferência das mulheres paulistanas começa nesta sexta (18) no Anhembi

Começa nesta sexta-feira (18), às 18h, a 5ª Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres de São Paulo. De acordo com o regimento, todas as mulheres que moram na capital e já tenham completado 16 anos podem participar. As inscrições podem ser feitas pelo site mulherfalasp.com.br  e o credenciamento na própria conferência, no Anhembi (Pavilhão Oeste, avenida Olavo Fontoura, 1.209, Santana), até às 13h do sábado.

A conferência só termina no domingo (20), quando serão eleitas as delegadas para a 4ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres de São Paulo, que será realizada em novembro, em local a ser definido. 

conferencia municipal mulheres sp 2015

“Dentro do papel político que a CTB desenvolve voltado para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, a questão de gênero ė um dos eixos fundamentais, assim como a luta pela igualdade racial e o combate à violência contra a mulher tanto no trabalho quanto na sociedade e no seio familiar”, diz Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-SP.

Na abertura estarão presentes a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, o prefeito Fernando Haddad e a secretária Municipal de Políticas para as Mulheres, Denise Motta Dau, e representantes da sociedade civil.

Serão debatidos sete eixos principais: Autonomia Econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Educação e Gênero; Saúde, direitos sexuais e reprodutivos; Direito à cidade e mobilidade; Enfrentamento à violência; Participação política e controle social; Cultura e Comunicação não sexista.

Além disso, uma das atribuições das conferencistas é elaborar o 1º Plano Municipal de Políticas para as Mulheres de São Paulo.

“Precisamos de políticas públicas de qualidade e de ações de combate à violência contra a mulher, pois o nosso papel principal nao ė somente acolher mulheres vítimas e punir agressores mas sim promover campanhas de prevenção. Nosso objetivo maior não é comprar o remédio e sim descobrir a cura desse mal”, diz Gicélia.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

Compartilhar: