Conape 2018: docentes de todo o país chegam a Belo Horizonte para reconstruir a educação

Começa nesta quinta-feira (24) a Conferência Nacional Popular de Educação (Conape), realização do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), criado pelo movimento educacional “para se contrapor ao desmonte promovido pelo governo golpista de Michel Temer nessa área fundamental para qualquer país crescer e desenvolver sua civilização com caráter mais humanizado”, diz Marilene Betros, secretária de Políticas Educacionais da CTB.

Veja a programação aqui

A Conape 2018 reúne cinco mil delegadas e delegados de todos os cantos do país em Belo Horizonte até o sábado (26),serão debatidos projetos de valorização dos profissionais, o Plano Nacional de Educação, criação de um Sistema Nacional de Educação e a organização do movimento educacional, entre outros temas.

Leia mais

A Conape 2018 começa nesta quinta (24) para ampliar o debate sobre a educação no país

O Portal CTB ouviu diversas educadoras e educadores da central sobre as suas expectativas em relação à Conape 2018. Acompanhe a seguir os depoimentos:

Gilson Reis, coordenador-geral da Contee

“O evento já se tornou a maior atividade de mobilização e luta nacional contra o desmonte de educação brasileira. Com a presença e organização de dezenas de entidades sindicais, estudantis, acadêmicas, institucionais, enfim de todas as entidades que se preocupam com o país e com a educação.

A decisão de denunciar as várias reformas e medidas realizadas pelo governo Temer desde o golpe de Estado é o principal objetivo da Conape. A Conferência lançará um manifesto nacional em defesa da educação e contra o desmonte, além de aprofundar nossas avaliações no processo de condução e aplicação do PNE. Belo Horizonte se transforma nestes três dias na capital nacional de luta contra o golpe e o desgoverno Temer e seus aliados”.

Helmilton Beserra, presidente da CTB-PE e do Sinpro-PE

“A Conape 2018 será um momento especial para articular a mobilização dos amplos setores que lutam por uma educação inclusiva, pública e universal que é um instrumento fundamental para a construção de um novo projeto nacional de desenvolvimento para o Brasil”.

Isis Tavares, presidenta da CTB-AM e secretária das Questões de Gênero da CNTE

“Serão três dias de intensos debates para salvar a educação das garras do mercado e da falta de compromisso do Ministério da Educação desse governo golpista. A Conape é um importante acontecimento para unir as educadoras e educadores brasileiros em favor da valorização dos profissionais do setor e de mais investimentos na educação como uma das formas de tirar o país da crise e ao mesmo tempo combater a violência que cresce diariamente”.

Josandra Rupf, secretária de Educação e Cultura da CTB-ES

“O golpe de Estado de 2016 veio para acabar com a educação pública, gratuita, laica, inclusiva e de qualidade que vinha avançando nos últimos anos. Temer golpeou a nossa representatividade nas entidades de defesa da educação. Por isso, organizamos a FNPE e a Conape 2018 para, com unidade, reconstruir a educação pública brasileira, sem a qual o povo pobre sofrerá ainda mais as consequências desse capitalismo selvagem que tomou conta do Estado brasileiro”.

Lidiane Gomes, secretária de Igualdade Racial da CTB-SP e dirigente do Sinpro-Campinas

“A educação deve fazer parte das preocupações de toda a sociedade constantemente e a Conape certamente significa um momento de reflexão ampla sobre como construir uma educação que contemple a classe trabalhadora. Que signifique ampliação dos horizontes culturais e econômicos como alternativa de vida para todas e todos”.

Mara Kitamura, dirigente do Sinpro-Sorocaba

“Este é um momento importante para aprofundarmos a participação da sociedade num grande projeto para a efetivação de um Sistema Nacional de Educação voltado para os interesses do país e que corresponda aos anseios da infância e da juventude. Oferecendo uma educação de qualidade, com a participação dos profissionais da educação e da sociedade”.

Nivaldo Mota, dirigente da CTB-AL e do Sinpro-AL

“A Conape é um espaço democrático para se discutir pela base a educação no Brasil. Com o Golpe de 2016, houve um retrocesso nas políticas públicas para a educação como um todo, quando o governo golpista de Temer, tenta desconstruir o que foi feito nesse país nos últimos anos! Participei em Alagoas das discussões da Conape, agora concretizada a nível nacional, espero que seja uma organismo vivo, não só dos educadores, mas de toda a sociedade brasileira”.

Railton Nascimento, presidente da CTB-GO e do Sinpro-GO

“A Conape configura-se como uma expressão maior da resistência. Diante do esvaziamento do Fórum Nacional de Educação por parte do governo golpista, a ordem mais do que nunca passou a ser resistir, dar um basta ao retrocesso. Com a exclusão de entidades nacionais de luta e representação dos trabalhadores da educação.

Temos a proposta de apresentar ao Brasil e reafirmar uma proposta de educação como política estratégica central para o desenvolvimento econômico, social e humano do país. O Brasil que queremos tem como prioridade a educação pública e de qualidade como política de Estado.

Somente a educação popular garantirá condições objetivas para a consolidação da soberania e desenvolvimento da sociedade brasileira, devolvendo ao Brasil seu lugar e papel de liderança no cenário intencional das relações exteriores no âmbito da América Latina e no mundo”.

Raimunda Gomes, secretária de Comunicação da CTB

“As entidades ligadas à educação democrática e inclusiva que têm compromisso com a construção de uma nação soberana e independente se encontrarão na Conape e juntas têm a missão de defender a efetivação do Plano Nacional de Educação para que essa área tenha a importância que merece.

A valorização profissional com respeito aos direitos das trabalhadoras e trabalhadores em educação, o piso salarial nacional e as boas condições de trabalho dependem de mais investimentos. Além de tudo isso, a Conape deve denunciar os prejuízos que o desmonte da educação pode causar no futuro do país. Mais educação, mais ciência, mais pesquisa, mais cultura, significam mais vida e possibilidade de desenvolvimento socialmente justo”.

Valéria Morato, presidenta da CTB-MG e do Sinpro-MG

“Eu considero que a realização da Conape é o momento de levar o assunto da educação para a rua, para o povo. Qual projeto de educação interessa ao povo brasileiro? Não é esse projeto que está aí hoje, implementado por esse governo ilegítimo, impopular. A Conape vai possibilitar uma reflexão e a retirada de ações para alterar esse quadro de devassa da educação”.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

Compartilhar: