Casa da Moeda segue na luta: Greve começa na 2ª feira

A luta contra a privatização – e por que não, contra a destruição – da Casa da Moeda ganha novos capítulos a partir da próxima segunda-feira (3/2). Definida em assembleia, os trabalhadores e trabalhadoras da estatal vão fazer uma “greve de sinalização”, a partir das 0h da próxima segunda-feira. “Essa será uma greve de sinalização por conta dos ataques que estão sendo feitos às nossas cláusulas sociais. Se não houver mudança de postura por parte do presidente da casa, uma nova greve, essa por tempo indeterminado, deve começar na primeira hora da próxima terça-feira.” – afirmou o servidor Antônio, com exclusividade ao Portal CTB RJ. Os trabalhadores e trabalhadoras da Casa da Moeda reclamam que estão sendo cassadas as clausulas sociais do acordo coletivo. Como ainda não existe um novo acordo firmado, esperava-se da direção da casa a manutenção dos mesmos durante o período de negociação. De acordo com os trabalhadores com os quais o Portal CTB RJ conversou pelas novas determinações da direção da casa, os servidores que recebem até 6 salários mínimos iriam passar a pagar 50% do valor titular do plano de saúde e 75% do valor dos dependentes (os que recebem acima de 6 Salários Mínimos pagarão valor integral, 100%). O auxílio transporta também é alvo da direção da casa, que passa a cobrar os 6% da categoria. Os servidores ainda denunciam mudanças no cálculo da insalubridade que lesam a categoria. Com as mudanças, cerca de 40 servidores podem receber valores inferiores a R$ 500 de salário e, um total de 140 receberá menos de um salário mínimo. O Presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, se posicionou com firmeza em defesa da Estatal. “A insana tentativa de privatizar a Casa da Moeda é mais uma das aberrações que o governo entreguista de Bolsonaro anuncia. Como temos afirmado, as privatizações anunciadas pelo governo na verdade trata-se na verdade de desconstruir o pais enquanto Nação soberana. A Casa da Moeda é um patrimônio nacional, sinônimo de independência. Não queremos mais “Thomas de la Rue” em nossas cédulas. Mas a vontade daqueles que querem privatizar a Casa da Moeda é ir alem da produção das cédulas. A empresa possui três unidades industriais: o Departamento de Cédulas (DECED), responsável pela impressão das cédulas do meio circulante nacional; o Departamento de Moedas e Medalhas (DEMOM), que atua na cunhagem de moedas de circulação e também de moedas e medalhas comemorativas; o Departamento de Produtos Gráficos e Cartões (DEGER), responsável pela produção produtos gráficos da empresa, como passaportes, selos fiscais, selos postais, diplomas, carteiras, entre outros. A CTB se coloca na linha de frente da defesa desse patrimônio, e estará em todos os fóruns para defende-la.”- disse.
Confira, abaixo, o comunicado da Greve, anunciado no site do Sindicato Nacional dos Moedeiros
A Categoria Moedeira deliberou em decretar a greve da seguinte forma: a) Greve de advertência por 24h a partir das 00:00h (zero hora) do dia 03/02/2020; b) Estado de Greve (situação onde os trabalhadores alertam os governantes ou dirigentes que poderão deflagrar greve a qualquer momento) a partir das 00:00h (zero hora) do dia 04/02/2020; C) A greve de advertência e o estado de greve servirá de “alerta ” para a Direção da CMB se posicionarem quanto a necessidade de mudança de proposta que culminou na suspensão das cláusulas sociais da Categoria Moedeira, e que caso contrário, poderá esta greve de advertência e estado de greve se transformar em greve por tempo indeterminado.
Compartilhar: