Sem categoria

Agricultura familiar será destaque na Agriminas 2012

A agricultura familiar será destaque na capital mineira de 5 a 8 de julho apresentando, pelo sétimo ano consecutivo, a qualidade e a diversidade da produção dos agricultores familiares do Estado. Empresas de atacado, varejo, estabelecimentos que trabalham com alimentação e o consumidor em geral poderão conhecer mais sobre a produção familiar e adquirir produtos procedentes diretamente do campo.

Em 2012 participarão da Agriminas 125 empreendimentos da agricultura familiar procedentes de diversas regiões do Estado. Eles apresentarão um variado mix de produtos da agroindústria familiar, a exemplo de queijo, doces, biscoitos, arroz, feijão, farinhas, legumes e hortaliças, licores e cachaças. E ainda, o artesanato rural que, em muitos casos, reaproveita subprodutos agrícolas em palha de milho e de banana que, junto com o couro, pedras, cabaças, cerâmica e bambu produzem peças de decoração, bijuterias e acessórios, entre outros.

“Desde a primeira edição a Agriminas vem abrindo as portas do mercado para a agricultura familiar e neste ano não será diferente, pois a feira já se firmou como o momento em que a produção dos pequenos agricultores se apresenta para o mercado, dando visibilidade para uma agricultura de qualidade e produzida com sustentabilidade”, explica Vilson Luiz da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Minas Gerais (Fetaemg), entidade promotora da feira. Neste ano, a feira é realizada também pelo Governo de Minas, por intermédio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Vilson Luiz argumenta que a feira deste ano tem tudo para superar os resultados obtidos nas edições anteriores e que têm se mantido crescentes. No caso do público, por exemplo, em 2011 a feira recebeu cerca de 30 mil pessoas. “Nossa expectativa é muito boa porque o perfil dos empreendimentos que participam é muito variado, com agroindústrias familiares, associações, sindicatos de trabalhadores rurais e assentamentos de reforma agrária apresentando a variedade e a riqueza da produção familiar”, diz.

Para Edmar Gadelha, subsecretário de Agricultura Familiar da Secretaria de Agricultura de Minas, é crescente a expectativa em torno da Agriminas, agora em sua sétima edição, para promover a produção e comercialização dos alimentos e objetos artesanais das diversas regiões do Estado. “O evento tem grande visibilidade, em primeiro lugar, porque constitui um momento especial para os agricultores ao possibilitar a apresentação do resultado das ações que o segmento tem adotado para oferecer produtos de qualidade, diversificados e com garantia de segurança alimentar.

Para a população, é a oportunidade de conferir e incorporar produtos novos e tradicionais ao consumo do dia a dia, com a certeza da procedência e da qualidade desses alimentos.” Segundo Gadelha, “a Agriminas enfatiza a importância da adoção de ações permanentes para o fortalecimento da agricultura familiar, atividade representada no Estado por cerca de 440 mil estabelecimentos e 720 mil famílias”.

70% da cesta básica – No Brasil, terceiro maior exportador de alimentos do mundo, a agricultura familiar mostra sua importância como responsável pelo fornecimento de mais da metade do conjunto dos produtos da cesta básica da população, chegando a cerca de 70% do total de itens. Em Minas Gerais, segundo o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção familiar responde, entre outros, por 83% da produção de mandioca, 47% do milho, 44% do arroz, 32% tanto do volume de café quanto de feijão e 48% da produção de leite. Os pequenos agricultores respondem, também, por 34% do rebanho bovino, 30% do rebanho suíno e 28% do plantel de aves.

Segurança alimentar – A Agriminas será realizada logo após o mundo inteiro ter voltado a sua atenção para a produção sustentável, devido à realização, no Rio de Janeiro, da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Um dos temas tratados pela Conferência, a segurança na produção de alimentos no planeta se justifica pelo fato de que, em 2050, a população mundial deverá chegar a 9 bilhões de pessoas. Hoje, somos 7 bilhões de pessoas em todo o mundo. “Segurança alimentar significa garantir uma produção de alimentos que seja suficiente para abastecer os mercados interno e externo.

No caso da agricultura familiar, queremos contribuir com uma produção que utiliza o manejo sustentável”, argumenta o presidente da Fetaemg, lembrando que, “no mundo, ainda há cerca de 1 bilhão de pessoas que não têm o que comer”. A Fetaemg levou à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, uma caravana com cerca de 100 pessoas que participaram de diversos eventos. Para Vilson Luiz, a Rio+20 “foi positiva, principalmente, para demonstrar a importância de vivermos em ambiente democrático, onde podemos apresentar as reivindicações de diversos setores. A Conferência reuniu diversos povos e segmentos da sociedade brasileira e de outros países e isso propiciou um intercâmbio cultural e de aprendizado”, diz.

A Agriminas tem o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), dos Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Central dos Trabalhadores do Brasil, Banco do Brasil, Conspiração Gastronômica, Emater-MG, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Minas) e Governo Federal.

VII Feira da Agricultura Familiar de Minas Gerais – Agriminas
Data: 5 a 8 de julho de 2012
Local: Serraria Souza Pinto – Belo Horizonte

Fonte: Fetaemg

Compartilhar: