Sem categoria

5 de junho: O Dia Mundial do Meio Ambiente

A Assembleia Geral das Nações Unidas em 15 de dezembro de 1972, por ocasião da Conferência de Estocolmo na Suécia, cujo tema mobilizador foi o Ambiente Humano, no evento igualmente, foi criado o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA. Estes eventos de alguma forma colocaram a temática ambiental em discussão.

Ainda em 1971, o Relatório do Clube de Roma, Os limites do Crescimento enfatizava a insustentabilidade do sistema econômico e de produção. Contudo, os avanços para auxiliar a preservação e conservação dos recursos naturais ainda são muito tímidos.

O desmatamento acumulado de agosto de 2014 a março de 2015 chegou a 1.761 km2, equivalente a um crescimento de 214% em relação ao mesmo período anterior do monitoramento.

Na Região Sudeste ainda continua sendo castigada pela crise hídrica, gerada pela falta de chuvas e descontrole no uso da água pela população e pelas indústrias. Significa a necessidade mudar comportamentos, as épocas de abundancia pertencem ao passado.

O Brasil trata apenas 39% dos esgotos, ocupa a posição 112ª no ranking de 200 países, mais da metade dos brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto.

Entretanto, em tempos de crise econômica é pouco provável que a agenda ambiental possa evoluir de forma consistente. Os fóruns mundiais de debate sobre o tema têm avançado muito pouco. Pois qualquer ação mais consistente significa pisar no freio do crescimento econômico, revisão dos padrões de consumo e a urgente transformação a matriz energética. E este é um preço que poucos querem e podem pagar.

Neste Dia Mundial de Meio Ambiente na visão da CTB, não apresenta muitos motivos para comemoração. A atuação do Estado ainda é muito precária, especialmente em alocar recursos públicos necessários para cobrir, e a sociedade ainda não compreendeu a extensão dos perigos imediatos e futuros que pesa sobre nós.

Antoninho Rovaris
Secretário Nacional do Meio Ambiente da CTB

Compartilhar: