Belo Horizonte volta a fechar comércio para barrar covid

Aloísio Morais

Não deu outra. Não teve jeito. A Prefeitura de Belo Horizonte alertou, alertou, não foi ouvida por parte da população e deu no que deu: Depois de bater três recordes consecutivos na taxa de ocupação de leitos de UTI, a capital mineira vai voltar a fechar as portas de seu comércio a partir desta segunda-feira, 11, numa tentativa de conter o avanço da Covid-19.

Tudo volta a ficar fechado na capital mineira durante duas a três semanas, exceto as atividades essenciais, praças e o zoológico, este com visitas programadas. Acabou, portanto, a mamata para certos bares de bolsonaristas que insistiam em burlar as normas definidas pela prefeitura e usavam variados artifícios para a venda de bebidas alcoólicas clandestina.

Como se temia, os reflexos das festas de Natal e Ano Novo refletiram num aumento significativo de mortos e infectados pelo coronavírus, voltando ao patamar de agosto. Para piorar, a exemplo de julho, em janeiro os profissionais da saúde têm um velho costume de saírem de férias em revoada. Resultado: a falta destes profissionais está dificultando até mesmo a abertura de novos leitos nos hospitais, tornando ainda mais dramática a situação.

Em Belo Horizonte, o último boletim epidemiológico da prefeitura trouxe na quarta-feira, 6, a informação de que 707 novos moradores da capital foram registrados com Covid-19 em 24 horas. Ao todo, 65.848 pessoas já se infectaram na cidade, das quais 1.915 morreram na pandemia. “Chegamos ao limite da Covid-19. Nós avisamos, nós tentamos avisar. Tentamos manter a cidade aberta quando os números ainda eram perigosos, mas nós tínhamos, pelo menos, uma expectativa de responsabilidade que não ocorreu”, disse o prefeito Alexandre Kalil, do PSD.

Minas

Neste domingo, Minas tinha quase 600 mil casos de covid-19. O estado tem quase 600 mil casos de covid-19. São 592.311 infectados pela pandemia e 12.709/mortos pela Covid-19 quando o estado registrou 115 mortes pelo novo coronavírus em 24 horas. E foram 443 novos infectados pelo coronavírus no mesmo período. Do total de casos, há 530.061 pacientes sendo acompanhados e 49.541 já se recuperaram.

O aumento das confirmações diárias vem ocorrendo mesmo com a restrição no uso de testes do tipo RT-PCR determinada pelo governo de Minas Gerais desde a última semana de dezembro, devido à falta de insumos em estoque e a uma diminuição da capacidade operacional. Na rede pública, os exames ‘padrão ouro’ estão restritos a óbitos e pacientes hospitalizados, além de grupos específicos como profissionais da saúde e da segurança pública.

Compartilhar: