Sobre como hoje em dia conseguir união para lutar

Sendo logo direto, nos Correios com 36 sindicatos, 2 federações, uma dezena de associações e pelo menos 12 correntes políticas diferentes ativas na categoria conseguimos união com alguns passos.

1° As entidades participantes têm de concordar que a união plural é o caminho. Respeito sobre opiniões minoritárias é essencial porém o que é executado sempre será por todos no que for decidido pelo máximo de entidades possíveis.

2° Um alvo bem definido a cada discussão. Período de negociações do ACT foi um alvo onde já se planejou o alvo seguinte que era a a greve, com a greve sendo o alvo já se organizava as estratégias judiciais, com o julgamento em vias de acontecer já se planejava as ações contra a privatização, etc. Isso impede que extra pautas como debates eleitorais (municipais ou presidenciais) tomem o protagonismo e estes ficam com a real importância secundária que devem ter no momento.

3° Representantes tem de deixar as amarguras do passado de lado. As rivalidades, opiniões sobre caráter (ou falta deste), disputas por macro estrutura continuam existindo mas fora do alvo principal. Quem tenta resgatar passado para intrigas é advertido por “todos que estão fora do assunto”.

4° Tem de existir um fórum permanente de discussão somente com as lideranças que podem tomar decisões pelos seus grupos. Nós escolhemos montar um grupo de zap pra isso. Não importa se não existe essa previsão nos estatutos, se mais antigos não gostam de zap. Tem de ter um local onde se coloque o voto de todos em mesa, não bastando alcançar mera maioria simples ou absoluta. O importante é buscar a maior unanimidade possível, mesmo que signifique muitas horas de mensagens e debates duros (até violentos as vezes). E deve ser com o mínimo possível de pessoas mas cada entidade ativa e representativa deve ter um representante.

5° Por fim, ninguém larga a mão de ninguém. Quem discordou de algo hoje pode ser peça fundamental amanhã e nunca se deve deixar de fazer o debate financeiro nas divisões de tarefas. Cada etapa com seus alvos acabam exigindo ações a serem executadas pelas pessoas das entidades, onde tudo sempre custa esforço e dinheiro.

Enfim, a categoria de Correios teve a felicidade de ter sido uma das primeiras categorias nacionais (como os professores) de dezenas de milhares a fazer greve por ACT e contra esse governo. Não é tarefa fácil mas perfeitamente capazes de fazerem até melhor são as outras categorias de se unirem, adaptando esses 5 itens básicos escritos para suas realidades. Se nós nos Correios conseguimos, vocês conseguem fazer ainda melhor.

Wilson Araújo é diretor da FINDECT

Compartilhar: