Repudiamos a privatização das rodovias 324 e 116

Jorge Barbosa de Jesus

As “lideranças” políticas de Salvador/Feira de Santana nada fizeram para inviabilizar a privatização das BR’s 116 e 324, no Estado da Bahia. O leilão ainda não tem data marcada, porém, o edital deve ser publicado, segundo o jornal A Tarde da última, quinta-feira, 25 de setembro, até o mês de outubro, uma vez que o projeto foi aprovado no dia 24 de setembro, em Sessão Plenária do Tribunal de Contas da União.

O trecho leiloado compreenderá 680,6km de rodovias, sendo 13,2 km na BR 324, entre as cidades de Salvador e Feira de Santana; 554,1 km, na BR 116, entre a cidade de Feira e as divisas dos Estados da Bahia e Minas Gerais, abrange também trechos rodoviários estaduais, delegados à União, sendo desses 9,3 km na BA 528 e 4 km na BA 526, rodovia que dá acesso à Base Naval de Aratu.

A instalação do pedágio terá grande impacto sobre a sociedade, pois não resta dúvidas que teremos aumento no custo do frete de todos os produtos transportados. Dizem que a privatização será por conta de manterem conservadas as estradas. Isso é ruim, porque de uma forma, pagamos duas vezes por esta “conservação”, uma na hora de licenciar o veículo, com o IPVA e ao passarmos pelos postos dos pedágios.

Infelizmente vai se firmando no Brasil a tendência absurda da privatização das rodovias e o contribuinte mais uma vez lesado com o pagamento dos ridículos e abusivos pedágios.

Jorge Barbosa de Jesus é Presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna

Compartilhar: