Por Marielle, por justiça e por todos nós, basta de Bolsonaro; dia 5 nas ruas

Por Francisca Rocha. Foto: Jordana Mercado

Com o lema “Por justiça para Marielle, por democracia e por direitos, Basta de Bolsonaro!”, os movimentos sociais tomam as ruas do país na terça-feira (5). Porque ninguém aguenta mais tantos desmandos, não queremos mais o peso da crise sobre nossos ombros. Chega de tanta mentira. Queremos a verdade e o restabelecimento da democracia e dos direitos da classe trabalhadora.

Esse governo veio para destruir o Brasil. Ataca os servidores públicos, quer extinguir o Sistema Único de Saúde (SUS), essencial para a classe trabalhadora e os mais pobres, que estão ficando cada vez mais pobres com a falta de política de desenvolvimento nacional e com o fim das políticas públicas de combate às desigualdades.

A educação pública sofre o mais duro golpe da República. O Ministério da (des)Educação pretende privatizar nossas escolas, as professoras e professores são perseguidos, justamente para justificar os cortes nos investimentos nessa área vital para a nação e para o povo.

Além de atacar as servidoras e servidores públicos para acabar com seus direitos, com os concursos e tornar o serviço público um verdadeiro cabide de emprego a beneficiar políticos corruptos. Como se tudo isso não bastasse, surgem indícios de participação do presidente no assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, ocorrido em 14 de março de 2018.

Ninguém pode ficar indiferente a tudo isso. A rua é o lugar para mostrarmos que não aceitamos mais ser enganados e vilipendiados por quem não tem nenhum compromisso com o país e com o povo. Dia 5 de novembro de 2019 pode entrar para a história como o fim de um governo dos ricos contra os pobres.

Francisca Rocha é secretária de Assuntos Educacionais e Culturais do Sindicato dos Professores de Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP), secretária de Saúde da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE) e dirigente da Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil (CTB-SP).

Compartilhar: