Globo foge dos protestos na Copa

Na semana passada, na chegada da seleção brasileira para o amistoso contra o Panamá em Goiânia, houve um protesto contra a TV Globo, como registra o vídeo acima. Na ocasião, o blogueiro Miguel do Rosário, do sempre atento “O Cafezinho”, comentou a cena emblemática: “Parece que o feitiço está virando contra o feiticeiro. O povo já sacou que a Globo está por trás dessa campanha maldita para detonar a autoestima nacional e para fazer o brasileiro odiar a si mesmo e a seu país. Neste domingo, populares hostilizaram a TV Globo durante a chegada da seleção brasileira. Ninguém gritou ‘não vai ter Copa’ e sim: ‘PIG, fora!’ e ‘Rede Globo, vá tomar no…’ O gigante acordou”. (Veja abaixo)

Já nesta sexta-feira (6), a jornalista Keila Jimenez, da coluna Outra Canal da Folha, dá outra notícia que demonstra os temores do império global. “O caminhão de Fátima Bernardes mal saiu e já teve de ser estacionado escondidinho na garagem da Rede Globo. A emissora cancelou as edições itinerantes do ‘Encontro com Fátima Bernardes’, em que a musa da Copa de 2002 visitaria as principais cidades brasileiras… A ideia era transmitir o programa de um local próximo aos estádios-sedes dos jogos do Mundial. A atração caiu na estrada em abril, com parada em Belo Horizonte. A primeira e a última, por enquanto. Demandando alto investimento, o projeto do caminhão foi cancelado durante a Copa”.

“Segundo fontes do programa, trata-se de uma medida de segurança da Globo, temendo manifestações e protestos mais violentos que podem ocorrer no período”, revela a jornalista. A emissora negou o medo e alegou que o motivo foi logístico – uma desculpa esfarrapada. Primeiro faz altos investimentos no caminhão e depois descobre falhas logísticas! O que é mais provável é que a emissora, liderada por Ali Kamel, seu diretor de jornalismo, tenha calibrado mal a cobertura da Copa. Por motivos econômicos, ela dá amplos espaços na programação ao evento – e já recebeu R$ 1,4 milhão em patrocínios. Já por razões políticas, ela joga contra a Copa no Brasil, visando desgastar a presidente Dilma Rousseff.

Em fevereiro passado, o jornalista Daniel Castro, do site “Notícias da TV”, vazou um documento da emissora recomendado a seus repórteres que evitassem “pautas positivas” do evento. No comunicado, a Globo orientava os seus profissionais, principalmente os do Jornal Nacional, que denunciassem as “irregularidades” da Copa. Isto explica porque tanto destaque aos atrasos nas obras e às denúncias sobre o aumento dos custos dos estádios. “Os jornalistas da TV Globo entenderam a mensagem da seguinte forma: não se deve enaltecer a Copa para não passar a mensagem de que a emissora é aliada da Fifa, organizadora do evento”, comentou, na ocasião, Daniel Castro.

Pelo jeito, a TV Globo exagerou na “pauta negativa” e agora teme dos protestos de rua. Nem o caminhão da Fatima Bernardes resistiu ao medo!

Altamiro Borges é presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. Texto originalmente publicado em seu blog


 

Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor

Compartilhar: