Dia 1º de Maio de 2020, em tempos de pandemia.

Dia do Internacional das Trabalhadoras e Trabalhadores, nesta data, o mundo lembra as lutas da classe trabalhadora em defesa do direito pela vida e dignidade.  Foram muitas batalhas e conquistas.

O direito a jornada de 8 horas diárias, uma das mais importantes delas, por ter interrompido a condição de escravidão a que eram submetidos homens e mulheres. Com garra, sonho e sangue foram obtidas outras conquistas, como direito de férias, aposentadoria, inibição do trabalho infantil e tantos outros.

Lutamos hoje contra um inimigo invisível, essa pandemia que faz sofrer e matar milhares de pessoas, em todo o planeta.

Mais uma vez se vê a questão de classe colocada, ainda que sejam infectadas pessoas da classe trabalhadora e dos donos do capital, é inegável que aos trabalhadores é destinada a maior parcela de dor. Enquanto uns tem acesso a moradia, alimentação, medicamentos, testagem, aparelhos de respiração e leitos em hospitais de luxo, outros seguem sofrendo em filas imensas buscando receber ajuda pandemia de 600 reais, sem acesso a máscaras de proteção, muitos morrendo nas suas casas, sem acesso a testes que verifiquem sua infecção, sem medicamentos ou a atendimento médico-hospitalar.

No Brasil temos, neste ano, um complicador na luta dos trabalhadores.
A presença de um presidente que demonstra ser formado por ódio e desprezo à humanidade, que diverte-se, junto com seus filhos, com a morte e dor de milhões de brasileiros. Lembra, de forma ampliada a figura bíblica de Herodes, quando determinou a morte de todas as crianças abaixo de 2 anos de idade.

A besta que dirige o nosso querido país vem condenar os idosos, as crianças, aos jovens, a tudo que se movimente. Vamos vencer !

A luta da classe trabalhadora irá derrotar, com ciência, o coronavírus e, com espírito classista, este governo desumano.

#FiqueEmCasa  #ForaBolsonaro

 

 

*José Marcos Araújo (Marcão), diretor da CTB/Pará e do Sindicato dos Bancários do Pará.

 

Compartilhar: