Beato Araújo vai indenizar Kátia Abreu?

Por Altamiro Borges

O site UOL informa que “o juiz Carlos Fernando Fecchio dos Santos, da 9ª Vara Cível de Brasília, condenou o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo a indenizar a senadora Kátia Abreu (PP-TO) em R$ 30 mil por danos morais”. O ex-chanceler cumprirá a sentença?

A ação foi ajuizada depois que o “Beato Araújo”, como era achincalhado pelos corredores do Itamaraty, insinuou em um tuíte de 28 de março deste ano que a senadora havia feito lobby em favor da China na disputa para explorar a tecnologia 5G no Brasil. A fake news foi desmentida e o olavete finalmente agora foi punido.

Na decisão, o juiz afirma que a postagem do ex-chanceler “serviu para desmoralizar a conduta da demandante, de forma a afetar a sua própria dignidade… Quem se depara com a publicação feita pelo réu pode perceber que a senadora tentara interferir na atuação dele quanto ao tema da implantação da tecnologia 5G no Brasil, tanto é que ele, repita-se, deixou claro que não realizou qualquer gesto para que isso ocorresse”.

O olavete virou bagaço?

Além da indenização, o juiz determinou a exclusão da postagem pelo Twitter. “Decerto, não se pode viabilizar a censura! Porém, no caso concreto, deve-se garantir a imagem do envolvido (honra objetiva), especialmente em época de extrema polarização política no país. Não se permite tolher, na situação aqui examinada, o direito de informar/criticar, mas a informação não pode ser dada de forma abusiva”, diz o trecho da sentença.

Como reagirá o fanático olavete defecado e hoje abandonado pelo traíra Jair Bolsonaro? Nos últimos dias, Ernesto Araújo só tem sofrido revezes e humilhações. Em julho, o novo ocupante da pasta, Carlos França, exonerou Roberto Goidanich da presidência da Fundação Alexandre de Gusmão (Funag), braço de estudos do Itamaraty. O direitista era um capacho do ex-chanceler e um seguidor do filósofo de orifícios Olavo de Carvalho.

Como lembra a Folha, “Goidanich assumiu a Funag na gestão de Ernesto Araújo – demitido em março. Durante o período, o órgão promoveu debates com bolsonaristas como o youtuber Bernardo Kuster e o blogueiro Allan dos Santos. As conferências com nomes conservadores começaram em 2019 e ganharam fôlego renovado durante a pandemia… Desde que assumiu o comando do Ministério das Relações Exteriores, Carlos França tem mudado a orientação da pasta para uma postura pragmática… França sinalizou que realizaria mudanças pontuais no segundo escalão do Itamaraty”.

Nesta segunda-feira (30), o site Metrópoles confirmou que o olavete está em baixa, descartado como bagaço. “O chanceler Carlos Alberto França prepara a primeira grande dança das cadeiras nos comandos das embaixadas brasileiras no exterior desde a saída de Ernesto Araújo. França vem paulatinamente tirando as tintas olavistas do ministério e devolvendo-lhe o caráter técnico. É possível que embaixadores ferrenhamente bolsonaristas e, portanto, pouco profissionais, sejam retirados de postos importantes que ocupam hoje, como Paris e Madri”. A conferir!

Compartilhar: