As mulheres negras que constroem a luta da Fitmetal

Em meio à celebração do 25 de Julho – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, fazemos questão de homenagear duas dirigentes que ajudam a construir a história de luta da Fitmetal (Federação Interestadual de Metalúrgicos e Metalúrgicas do Brasil).

Raimunda Leone, baiana que adotou o Rio de Janeiro como casa, é vice-presidenta da Fitmetal e secretária-adjunta de combate ao racismo da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil). Mulher negra, metalúrgica no Rio, é mãe, feminista e militante antirracista, além de dirigente do PCdoB-RJ.

No último período, Raimunda organizou, articulou politicamente e conduziu um dos mais importantes êxitos liderados pela CTB – a vitória na eleição para a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense. A grande vitória da chapa da CTB/Fitmetal, composta também por sindicalistas da CSP/Conlutas, trouxe esse sindicato de volta para as mãos dos trabalhadores e trabalhadoras.

Eremi Melo, mulher negra, gaúcha, sindicalista, metalúrgica de Caxias do Sul, feminista antirracista, dirigente partidária do PCdoB-RS, é secretária-geral da CTB-RS e secretária de Formação e Cultura da CTB. Na Fitmetal, ocupa a Secretaria de Formação. Também esteve à frente da eleição dos metalúrgicos do Sul Fluminense com compromisso de assegurar a lisura das urnas e todo processo das eleições sindicais.

Com grandes contribuições e uma vasta caminhada pelos movimentos sociais, formando e debatendo a participação das mulheres nos diversos espaços de poder, inclusive nas direções sindicais, essas pretas estão realizando a revolução feminista. Elas põem em prática o que destacou a professora Rosane Borges na sessão especial que celebrou o 25 de Julho na Assembleia Legislativa da Bahia: as mulheres negras são capazes de pensar o comum, o coletivo.

Raimunda Leone, vice-presidenta da Fitmetal

Em nome dessas duas dirigentes, saúdo todas as mulheres negras e não negras da direção da Fitmetal e nas direções dos sindicatos filiados à Federação pela passagem do 25 de julho – que também é Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. São duas mulheres que, de forma exemplar, se engajam nas diversas bandeiras de lutas tão necessárias aos avanços civilizacionais.

Mas não poderíamos encerrar o mês de comemorações sem destacar o grande encontro de mulheres pré-candidatas em live realizada pela Secretaria da Mulher Trabalhadora da CTB, a companheira Celina Arêas. Com o tema “Mulheres na Política”, o encontro foi permeado por muita solidariedade e comprometimento com as pautas tão caras às trabalhadoras – e a esperança de, juntas, ajudarmos a construir um país mais justo e solidário para todas, todos e todes.

Estamos em ano eleitoral. Num cenário fascista, adverso e violento, o atual presidente destila seu ódio de classe, gênero e raça, no qual nós, mulheres, temos um grande compromisso com a democracia, elegendo Lula presidente e uma grande bancada de esquerda nos estados, para que o futuro presidente possa ter governabilidade.

Às mulheres, fazemos um pedido especial: lutem como mulher e priorizem as candidatas e os candidatos oriundos do movimento sindical. Vamos realizar uma campanha baseada na paz, no amor e no respeito à diversidade.

Vamos ganhar esta eleição com coragem – a mesma coragem que nos fez resistir até aqui. Falta pouco para a gente voltar a ter esperanças de um país livre, democrático e justo para com o seu povo.

Deixamos nossos agradecimentos especiais às mulheres que ajudaram na organização desta exitosa campanha – Josinha Leal (secretaria Sindical do PCdoB Volta Redonda), Andreza Martins, Regiana, Gislaine, Vanessa e Jéssica (militantes do PCdoB), além de mulheres de outros partidos. A Juliele e Rosemary, deixo a frase de Angela Davis: “Não aceito mais as coisas que não posso mudar. Estou mudando as coisas que não posso aceitar”. Parabéns pela conquista e pela coragem de lutarem por um mundo melhor e mais justo. Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive no sindicato.

Compartilhar: