Todo apoio ao acordo nuclear assinado pelo Brasil e Irã

Ao lado da Turquia, o Brasil acaba de protagonizar uma importante iniciativa diplomática no Oriente Médio. No dia 17 de maio, foi fechado um acordo com o governo do Irã que prevê a troca de urânio pouco enriquecido do país por combustível nuclear.

A proposta visa uma solução negociada para o impasse em torno do programa nuclear iraniano e já havia sido apresentada anteriormente pelos Estados Unidos e outras potências capitalistas nas negociações com o Teerã. Seria uma alternativa à política de sanções, que só prejudica o povo e a economia do país, a exemplo do que ocorre há décadas com Cuba.

Todavia, voltando atrás na proposta que apresentaram inicialmente, os EUA manobram para inviabilizar o acordo e insistem em impor sanções econômicas, a pretexto de que o governo persa não merece confiança. Contam com o apoio de outras potências capitalistas e pressionam a China para adotar a mesma posição, de modo a obter a necessária unanimidade dos países com direito a veto no Conselho de Segurança da ONU (EUA, China, Rússia, Inglaterra e França).

A CTB sempre defendeu o direito à autodeterminação das nações, o desenvolvimento com soberania e a Paz Mundial. É com base nesses princípios que declara todo apoio e solidariedade ao acordo celebrado pelos governos do Irã, Brasil e Turquia, ao mesmo tempo em que repudia a intransigência dos EUA e outras potências capitalistas, que através das sanções querem abrir caminho a uma nova guerra imperialista no Oriente Médio.

Os imperialistas agem com indisfarçável cinismo neste conflito diplomático. Acusam o Irã de buscar o controle da tecnologia nuclear com o objetivo de produzir a bomba, mas Teerã afirma desejar desenvolver a delicada tecnologia para fins pacíficos.

A verdade é que os EUA, como as demais potências com assento no Conselho de Segurança da ONU,  já possuem arsenais nucleares com capacidade para destruir o planeta mais de uma vez, não querem abrir mão dessas armas e defendem a todo custo a exclusividade e o monopólio neste terreno, o que lhes garantiria domínio perpétuo sobre as demais nações. Não custa lembrar que Tio Sam já bombardeou covardemente, e sem necessidade, duas históricas cidades japonesas (Nagasaqui e Hiroxima), provocando centenas de milhares de mortes em alguns segundos.

Ademais, Israel já possui a temível bomba e os EUA nada falam a respeito, pois protegem o seu maior e mais cruel aliado na região rica em petróleo, que espoliam e procuram dominar com mãos de ferro. Com uma posição corajosa e justa em defesa do direito das nações à soberania e ao desenvolvimento da tecnologia nuclear para fins pacíficos, em claro contraste com os interesses do imperialismo, o Brasil sob o governo Lula pratica uma política externa altiva e soberana, diametralmente oposta à diplomacia dos pés descalços de FHC, que desperta um sentimento de orgulho e patriotismo em todo o povo brasileiro. Por isto, tem a solidariedade da CTB e de toda a nossa classe trabalhadora.

 

São Paulo, 20 de maio de 2010

Wagner Gomes, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)

Compartilhar: