Nota da CTB sobre a fusão Itaú-Unibanco

Em plena crise do sistema financeiro internacional, foi anunciada nesta segunda-feira (3-11) a fusão dos bancos Itaú e Unibanco, que resultará, se for concretizada, na maior instituição financeira do hemisfério Sul, com ativos de 575 bilhões de reais, contra R$ 403,5 bilhões do Banco do Brasil e R$ 348,4 bilhões do Bradesco. Os investidores reagiram positivamente no mercado de capitais, mas o fato é motivo para preocupação da classe trabalhadora e da sociedade brasileira.

Em primeiro lugar, a nova instituição a ser criada pode redundar em “enxugamentos” e demissões. Compreensivelmente, a categoria já está apreensiva, pois vivemos a expectativa de desaceleração do crescimento econômico, em função da crise internacional irradiada do capitalismo norte-americano, o que terá impactos negativos no mercado de trabalho e tornará o emprego mais raro.

Também cabe assinalar que a fusão intensifica o processo de concentração e centralização do capital no sistema financeiro nacional, abrindo caminho para a redução da concorrência e a prevalência de um monopólio privado no setor. Isto não é bom para os clientes nem para a economia nacional, pois tornará mais difícil a redução dos juros na ponta, para pessoas físicas e jurídicas, assim como das tarifas e taxas cobradas pelos bancos.

A CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, em aliança com outras centrais e as entidades sindicais que representam a categoria, manifesta sua posição contra a fusão e exige a abertura de negociações com o movimento sindical para preservar o emprego e os interesses da categoria e dos clientes.

São Paulo, 3 de novembro de 2008

Wagner Gomes, presidente da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil       

 

 

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado

CTB convoca para a Jornada mundial pelo trabalho decente

São Paulo, 08 de Outubro de 2008.

 

 

Of.: CTB/SG/69/OUT/2008

 

À

Estaduais da CTB

Ramos e Entidades Filiadas

 

Ref.: Jornada mundial pelo trabalho decente

 

 

A Organização Internacional do Trabalho instituiu em 1999 o conceito de trabalho decente em seu programa, que engloba os seguintes temas: direitos no trabalho, solidariedade e fim da pobreza e das desigualdades sociais.

Tal conceito, em nosso país, se traduz na defesa da redução da jornada de trabalho sem redução de salário, ampliação da oferta do primeiro emprego e de qualificação ao jovem, garantia de emprego digno com carteira assinada, respeito à organização sindical, combate

ao trabalho infantil e escravo, igualdade de direitos entre homens e mulheres e contra a discriminação de gênero, raça ou orientação sexual.

Foi convocada pelas centrais sindicais internacionais uma Jornada Mundial pelo Trabalho Decente. O dia 7 de outubro de 2008 (terça-feira) foi escolhido para que o movimento sindical organize seus trabalhos. No Brasil, pela proximidade com o processo eleitoral, a data será

10 de outubro, sexta-feira.

Nacionalmente, todas as centrais sindicais estão inseridas nesta campanha. Para desdobramentos nos estados, a CTB Nacional orienta que as coordenações estaduais procurem as demais centrais sindicais e organizem atos, mobilizações e outras atividades que tenham como tema as bandeiras do trabalho decente.

Caso não seja possível realizar eventos no dia 10 de Outubro, os Estados poderão trabalhar com outras datas que facilitem a mobilização.

 

Anexo segue cartaz da jornada.

 


Saudações classistas.
 
Pascoal Carneiro

Secretário-geral

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB