CTB reafirma sua posição contra o fator previdenciário

Reunida em Brasília para discutir o reajuste das aposentadores a Central reafirma veementemente sua posição contrária a proposta que está sendo feita, na qual a exigência é  85 para a mulher e 95 anos para o homem, que significa a soma do tempo de contribuição e a idade.

Para a CTB esse é um esforço do governo para compensar o fim do fator previdenciário, mas na essência não se obtém alteração significativa, já que penaliza o trabalhador e a trabalhadora que começou a trabalhar muito cedo, mas não atingiu a idade mínima.
 
A proposta do governo acaba com o fator previdenciário, mas obriga à classe trabalhadora que se aposente  por idade, o que na opinião da CTB é um critério injusto e desleal para com o trabalhador que ajudou a construir esse país.
 
A CTB reafirma sua  posição contra a proposta 85/95 e reforça sua defesa do reajuste do salário mínimo, que deve ser repassado para as aposentadorias, e não aceita a retirada de nenhum projeto de lei em tramite no Congresso Nacional que visa beneficiar os aposentados e pensionistas do INSS, principalmente em relação ao fator previdenciário que considera necessário ser extinto com urgência, reiterando seu total apoio ao projeto do deputado Paulo Paim (PT).

São Paulo, 25 de agosto de 2009.

Wagner Gomes (Presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)

Compartilhar: