CTB define como “incompreensível” novo aumento da taxa de juros

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB classifica como “incompreensível” o novo aumento da taxa de juros, divulgado nesta quarta-feira (8) pelo Comitê de Política Econômica (Copom) do Banco Central. Com a medida, a chamada Selic passou de 12% para 12,25% ao ano.

Para a CTB, mais uma vez o Banco Central age em desacordo com as atuais demandas econômicas da nação, agindo em contrariedade ao que defendem as centrais sindicais, a indústria e os movimentos sociais do país.

Este já o quarto aumento seguido da Selic – todos eles durante o governo Dilma. Dessa forma, o Brasil segue com o vergonhoso título de país com a maior taxa de juros real do planeta. Juros altos significam menos empregos, menos investimentos e risco de estagnação. Para a CTB, a medida é um retrocesso que coloca em risco o crescimento vislumbrado para 2011 e os próximos anos.

As centrais sindicais, quando apoiaram a candidatura de Dilma Rousseff à Presidência, apostavam que a ex-ministra conduziria a política econômica do país de forma mais progressista – algo que até o momento não foi colocado em prática. Juros altos e outros agrados ao sistema financeiro do país faziam parte do projeto derrotado nas eleições passadas.

A CTB continuará a se mobilizar, ao lado das demais centrais, em torno da luta pela redução da taxa de juros. Já é hora de a presidenta Dilma Rousseff tomar o controle desse processo, em nome do crescimento e do desenvolvimento da nação.

Wagner Gomes
Presidente nacional da CTB
São Paulo, 8 de junho de 2011.

Compartilhar: