Liberdade de pensar é essencial para uma educação de qualidade, diz dirigente da CTB

A professora Marilene Betros, dirigente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), afirma ao Portal CTB que o 4º Congresso Nacional da CTB debaterá os efeitos dos cortes orçamentários na educação e como salvar esse setor essencial para o desenvolvimento do país.

Ela explica que a CTB realiza seu Congresso em uma conjuntura adversa, “com essa ofensiva do capital sobre o trabalho”. Neste momento, “a educação pública está ameaçada. O presidente ilegítimo retira investimentos e diz que está cortando gastos, como se investir em educação não fosse essencial para a nação”, diz. Por isso, “o movimento educacional se organiza para mostrar que educação deve ser prioridade absoluta”.

E como o Ministério da Educação (MEC) cancelou a Conferência Nacional de Educação, os profissionais na área, criaram a Conferência Nacional Popular de Educação (Conape) e o Fórum Nacional Popular de Educação para “barrar os retrocessos e colocar a educação no centro do debate da política nacional”.

A professora, que também é dirigente da APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado Bahia e da CTB-BA, ataca o proejto Escola Sem Partido. “Esse projeto tenta tirar a essência da educação, que dever ser um processo aberto. A educação deve dar liberdade de pensar”. conclui.

Assista o depoimento de Marilene Betros

 

Compartilhar: