2010 foi ano de luta para a juventude trabalhadora da CTB

Com a complexa tarefa de protagonizar a história da juventude trabalhadora brasileira, a CTB cumpriu, em 2010, um importante papel na construção, no desenvolvimento, no planejamento e no acompanhamento das questões voltadas a ampliação dos direitos da categoria.

Mais um ano está acabando, mas esses últimos 12 meses se caracterizaram como um período de muitas ações e conquistas marcando, assim, uma nova etapa na luta da juventude classista por uma sociedade mais igualitária.

A Secretaria de Juventude Trabalhadora da CTB participou, ativamente, de importantes eventos como: Fórum Social Mundial, realizado em Porto Alegre; Apresentação do relatório da OIT sobre o índice de desemprego na juventude da América Latina e no caribe; dentre outras importantes ações.

Em março CTB/SP reúne juventude trabalhadora para debater e organizar sua participação na Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), realizado em 1º de junho.

No setor rural, a juventude cetebista também esteve em plena atividade com a construção de políticas públicas de incentivo ao fim do êxodo rural, fortalecimento da educação no campo e de crédito para a categoria.

Outro ponto importante para a luta do campo aconteceu com a realização, em Brasília, do II Festival da Juventude Rural da Contag. O evento reuniu a militância de vários estados da federação que buscaram ampliar as discutições sobre a luta da juventude rural na construção de uma política voltada, especialmente, para atender suas necessidades e evitar que esses (as) trabalhadores (as) deixem suas terras para tentar uma vida melhor nas grandes cidades.

Em Minas Gerais, a CTB participou do 2º Festival Estadual da Juventude Rural/Fetaemg. Com objetivo renovar à luta do campo, o evento teve a finalidade de incentivar a inclusão desses jovens ao movimento sindical.

A CTB esteve presente, também, às discussões sobre o papel da juventude na realização das eleições presidenciais de 2010, com o lançamento, em Pernambuco, da campanha “Se liga 16”. Em que rapazes e moças, com idade entre 16 e 18 anos, discutiram seu papel na construção de um país mais justo, igualitário e democrático.

Vale destacar que essa juventude fez o dever de casa e teve uma participação ativa e fundamental no processo eleitoral deste ano, lutando contra o retorno das políticas neoliberais imperialistas representadas por José Serra.

Dentre tantas ações que aconteceram em 2010, a juventude trabalhadora da CTB promoveu diversos encontros regionais, além de participar da reunião da comissão de jovens – Cone Sul, no Paraguai e do seminário da CONJUVE, em que foram discutidas políticas para juventude no governo Lula.

Para 2011 cabe a CTB, aumentar a participação classista na área para que a juventude cetebista possa operar como principais atores e atrizes nas mudanças e construções de políticas que, no futuro, servirão de alicerces para a ampliação dos direitos hoje adquiridos pela juventude trabalhadora.

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado