Fortalecimento do SUS é marca da Secretaria de Saúde em 2010

Diz o Artigo 196 da Constituição Federal do Brasil: “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário ás ações e serviços para sua promoção, projeção e recuperação. Art.200 II – executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica bem como as de  saúde do trabalhador”.

Baseada no que diz a Carta Magna nacional, a Secretaria de Saúde da CTB tem a difícil tarefa de participar da luta por uma saúde pública e de qualidade. Ao lado de outras forças do movimento sindical e do movimento social em geral, a CTB teve como norte trabalhar para que o Sistema Único de Saúde (SUS) seja ampliado.

Diante dessa orientação fundamental, é possível destacar algumas atividades ocorridas ao longo de 2010, das quais a CTB pôde compartilhar seus pontos de vista e interagir com outras entidades.

Em maio, houve o 2º Seminário do Observatório de  Saúde dos Trabalhadores, nos dias 19 e 20, na Sede da Força Sindical, em São Paulo.

Em Junho, a CTB participou da 10ª Conferência de Saúde, em Salvador. Houve também a 63ª Reunião da Câmara de Saúde Suplementar, no Rio de Janeiro.

Julho foi um mês mais movimentos para os trabalhadores ligados à área da Saúde. A CTB participou do 4º Encontro Nacional de Renast, em Brasília, da Câmara Técnica da Regulamentação dos artigos 30 e 31 da lei 9656/08, no Rio de Janeiro, e também da cerimônia de posse do presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, no dia 16.

O mês de agosto foi marcado pelo 1º Simpósio Internacional de Saúde de Adolescentes e Jovens, nos dias 9 e 10 de agosto, em Brasília. A CTB também participou da 64ª Reunião do CAMSS, no Rio de Janeiro.

Em setembro, a CTB participou da Reunião do Departamento de DST/AIDS e hepatites virais, em São Paulo. No mesmo mês, houve também na capital paulista o Encontro ANS, nos dias 29 e 30.

Para 2011, compete à Secretaria da Saúde e Segurança do trabalhador aumentar a participação classista nessa área. É fundamental fortalecer o coletivo, aprimorar as divulgações e estabelecer novas maneiras de pensar e compreender as relações entre o trabalho, a saúde e as doenças dos trabalhadores.

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado