Cartaz do 2º Congresso da CTB

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado

Nos dias 31 de julho e 01 de agosto de 2009, acontece em Salvador, o 2º Encontro Estadual da CTB-Bahia, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, marcando a consolidação da central em nosso estado, a eleição e posse da nova direção estadual.

A CTB Bahia foi fundada em 14 de março de 2008, num grandioso encontro realizado no Centro de Convenções da Bahia, com mais de 600 participantes.

São esperados em Salvador, neste segundo encontro, cerca de seiscentos delegados e delegadas, representando cerca de trezentos sindicatos filiados. Para o 2º Congresso Nacional da CTB, a Bahia contribuirá com 300 participantes, maior delegação do País.

Na pauta, o debate sobre as teses discussão da conjuntura nacional e estadual, plano de lutas, a campanha pela redução da jornada sem redução de salários; reforma agrária e agricultura familiar, estruturação e organização da CTB. A direção estadual será composta de vinte e sete membros e a composição respeitará a cota de gênero de 30%, bem como, a ampliação de jovens trabalhadores.

Para Adilson Araújo, a Central na Bahia se constitui hoje numa das principais referências da luta dos trabalhadores e trabalhadoras. “A CTB é uma central classista, democrática, autônoma e de luta. Não esperávamos que pudéssemos fazer tanto em tão pouco tempo. Valeu o esforço coletivo nas batalhas sindicais, as manifestações de rua, a articulação com os movimentos sociais e com as Centrais Sindicais. Nesta nova gestão devemos primar pela participação ativa das entidades no dia a dia da Central, bem como a elevação do protagonismo da CTB no interior do estado. Estreitar cada vez mais a relação com os camponeses é a nossa tarefa, unificar a luta urbana com a luta do campo é o nosso desafio.”

José Antonio da Silva, presidente da Fetag-Bahia - Federação dos Trabalhadores na Agricultura, reafirma “ É nosso compromisso fortalecer a CTB no campo, sobretudo, garantindo cada vez mais a unidade dos trabalhadores do campo e da cidade na luta pela reforma agrária e o fortalecimento da agricultura familiar.

CTB Bahia prepara 2º encontro

Nos dias 31 de julho e 01 de agosto de 2009, acontece em Salvador, o 2º Encontro Estadual da CTB-Bahia, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, marcando a consolidação da central em nosso estado, a eleição e posse da nova direção estadual.

A CTB Bahia foi fundada em 14 de março de 2008, num grandioso encontro realizado no Centro de Convenções da Bahia, com mais de 600 participantes.

São esperados em Salvador, neste segundo encontro, cerca de seiscentos delegados e delegadas, representando cerca de trezentos sindicatos filiados. Para o 2º Congresso Nacional da CTB, a Bahia contribuirá com 300 participantes, maior delegação do País.

Na pauta, o debate sobre as teses discussão da conjuntura nacional e estadual, plano de lutas, a campanha pela redução da jornada sem redução de salários; reforma agrária e agricultura familiar, estruturação e organização da CTB. A direção estadual será composta de vinte e sete membros e a composição respeitará a cota de gênero de 30%, bem como, a ampliação de jovens trabalhadores.

Para Adilson Araújo, a Central na Bahia se constitui hoje numa das principais referências da luta dos trabalhadores e trabalhadoras. “A CTB é uma central classista, democrática, autônoma e de luta. Não esperávamos que pudéssemos fazer tanto em tão pouco tempo. Valeu o esforço coletivo nas batalhas sindicais, as manifestações de rua, a articulação com os movimentos sociais e com as Centrais Sindicais. Nesta nova gestão devemos primar pela participação ativa das entidades no dia a dia da Central, bem como a elevação do protagonismo da CTB no interior do estado. Estreitar cada vez mais a relação com os camponeses é a nossa tarefa, unificar a luta urbana com a luta do campo é o nosso desafio.”

José Antonio da Silva, presidente da Fetag-Bahia – Federação dos Trabalhadores na Agricultura, reafirma “ É nosso compromisso fortalecer a CTB no campo, sobretudo, garantindo cada vez mais a unidade dos trabalhadores do campo e da cidade na luta pela reforma agrária e o fortalecimento da agricultura familiar.