A formação sindical classista fortalece a luta contra o imperialismo capitalista

Visando o futuro da luta sindical por meio da ampliação dos direitos trabalhista e por uma sociedade melhor para todos os brasileiros, a militância classista definiu, durante a realização do 2º Congresso da CTB, que a formação sindical seria uma das prioridades da Central para 2010. Diante disso, a Secretaria de Formação e Cultura intensificou suas ações em quase todos os estados da federação, envolvendo mais de 1.140 sindicatos tanto na cidade quanto no campo.

O ano está chegando ao fim, mas os últimos 12 meses ficarão gravados na história da luta da CTB como um período em que fora dado um importante passo na ampliação das ações classistas junto aos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.

Nesse período foram promovidos inúmeros cursos, debates e palestras, além dos seminários de formação sindical que forneceu subsídios para elaboração de projetos culturais, indispensáveis para a libertação dos trabalhadores frente à exploração capitalista que a humanidade vive no século XXI.

Esse trabalho desenvolvido pela CTB intensifica e fortalece o combate ao imperialismo capitalista, pois somente por meio do avanço na formação sindical da população que os trabalhadores poderão reivindicar e lutar pela melhoria de seus direitos.

Todas as ações de 2010, potencializado pela notícia de que a CTB já é a terceira maior central sindical do país, aumenta a responsabilidade dos dirigentes da central para 2011. Essa realidade indica que é preciso melhorar cada vez mais os cursos e intensificar os esforços na formação, para que todos e todas compreendam, profundamente,  a  concepção classista de transformação indo além do movimento sindical, o que só será possível através da elevação do nível de  consciência e do compromisso com o projeto nacional de desenvolvimento e valorização do trabalho, com humanização, democracia e soberania nacional rumo a uma sociedade mais justa e igualitária.

Compartilhar:

Conteúdo Relacionado