Mais de 125 milhões de pessoas em insegurança alimentar

O ultraliberalismo imposto aos brasileiros pelo governo Bolsonaro faz a miséria se alastrar e a fome atormentar milhões de famílias. O número de pessoas em insegurança alimentar cresceu e hoje 125,2 milhões – 58,7% dos cidadãos – não têm garantia de que vão conseguir fazer as três refeições básicas do dia. A alta é de 60% desde 2018.

A fome também disparou. Em pouco mais de um ano, o número de pessoas que não têm comida da mesa saltou de 19 milhões para 33,1 milhões. Ou seja, 15,5% dos brasileiros não têm nada para comer neste exato momento.

A Rede Penssan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar) aponta que a insegurança alimentar retrocedeu a um patamar equivalente a década de 1990. O acesso pleno à alimentação se tornou luxo para poucos. Em números, apenas quatro de cada 10 famílias têm garantia de que podem comer bem.

Os dados mostram ainda que as desigualdades se acentuaram desde o golpe jurídico-midiático-parlamentar de 2016. O Norte e o Nordeste são as regiões mais afetadas pela fome, cerca de 25,7% e 21% das famílias, respectivamente, não têm nada para comer. Já nas áreas rurais, são 60% das casas. 

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Compartilhar: