Depois do Brasil, Rússia assume presidência do Brics

Na última quinta-feira (1º/01), a Rússia assumiu a presidência do Brics (bloco que integra junto com Brasil, Índia, China e África do Sul) e prometeu promover, durante seu mandato, mais cooperação entre os países do grupo.

Leia também:
Brics Sindical luta pela valorização do trabalho, diz cetebista

O Brasil exerceu o comando da organização em 2014 e foi responsável pela realização de sua 6ª Cúpula, que ocorreu em Fortaleza (Ceará), paralelamente ao 3º Fórum do Brics Sindical, no qual as centrais brasileiras, entre elas a CTB, e estrangeiras entregaram para a presidenta Dilma Rousseff a Carta de Fortaleza, reivindicando sua participação no encontro.

Para o secretário de Relações Internacionais da CTB, Divanilton Pereira, “Exercer a presidência do Brics fortalecerá a Rússia diante dos ataques políticos e econômicos imperialistas que aquele país sofre”, disse o cetebista.

De acordo com o presidente russo, Vladimir Putin “os mecanismos possibilitados pelo Brics têm a importante função de promover produção industrial, intercâmbio técnico e também um papel fundamental em áreas como medicina, educação e ciência” ele informou ainda que fortalecerá as relações entre os países do bloco.

Durante a reunião no Brasil, o grupo anunciou a criação de um Banco de Desenvolvimento e um Fundo de Reserva como alternativa ao Banco Mundial e ao FMI (Fundo Monetário Internacional). A sétima Cúpula do Brics ocorrerá em julho na Rússia.

Portal CTB

Compartilhar: