Paraguai realiza Jornada Nacional de Mobilização e Protesto

protesto paraguai 1

Nesta segunda-feira (28), ocorrerá no Paraguai uma Jornada Nacional de Mobilização e Protesto em diversos setores daquele país para tentar evitar a aprovação final, pela Câmara dos Deputados, da Lei de Aliança Público-Privada (APP), defendida pelo governo de Horácio Cartes e qualificada como privatizadora pelos trabalhadores.  A Frente Guasu – coalizão de partidos políticos e organizações sociais – divulgou uma nota conclamando a população para sair às ruas e lutar contra medidas como esta consideradas neoliberais. 

Leia abaixo a íntegra do documento:

Os projetos de lei para legitimar o programa neoliberal do presidente Horácio Cartes, resultaram na aglutinação de grande parte do movimento social e político do Paraguai, constituindo uma grande força disposta a mobilizar-se para preservar a soberania nacional, hoje severamente ameaçada por uma política antipopular.

Nesta segunda-feira (28), data em que o Congresso Nacional estudará a aprovação de uma dessas leis, a chamada “Aliança Público-Privada”, setores urbanos, rurais, e políticos agrupado na “Coordenação democrática”, na qual a Frente Guasu faz parte, decidiu realizar  uma grande mobilização e greve geral, para repudiar esta lei. 

Após 17 anos, o setor trabalhista do Paraguai decidiu pela realização de uma greve geral. Esta expressão popular portanto, pode ser a um capítulo de grande importância na história de luta social naquele país. E não é para menos: O governo de Horácio Cartes – um empresário que desde seus enormes recursos de origem duvidosa, conseguiu comprar o Partido Colorado e ultimamente comprometer grande parte dos partidos que compõem o Congresso Nacional, com exceção da Frente Guasu, está defendendo implantar em nosso país um projeto claramente neoliberal e de disposição do grande capital transnacional, o patrimônio nacional.  

Esta política é um perigoso despropósito e está na contramão da história, quando o conjunto dos países latino-americanos, que conseguiram libertar-se do neoliberalismo que tanto dano causou aos nossos povos, volta-se para desenvolver uma política libertadora dos desígnios do grande capital imperialista. 

A política de Cartes que hoje tem o repúdio da cidadania e a cumplicidade de congressistas venais contrapõe-se flagrantemente à nova América Latina que hoje se articula em projetos de integração liberadores.

Diante desta situação difícil de nossa conjuntura, conhecendo os recursos perversos da direita nacional e internacional, que em função de seus interesses é capaz de apelar a todos os recursos, e diante dos riscos de que uma reação repressiva atente contra a integridade de nossos cidadãos, é importante contar com o apoio e a solidariedade das organizações fraternas da América Latina e do mundo, porque, é bom enfatizar: o projeto neoliberal de Cartes é um atentado contra o processo de integração e libertação dos povos latino-americanos, destaca a Frente Guasu.

Mais do que nunca, as organizações progressistas de nosso castigado continente, devem ser convocadas em uma luta conjunta para evitar uma volta ao passado. Um passado de fome e luto que devemos erradicar para sempre. Hoje, o elo mais débil desta nova América Latina corre o risco de ser um plano piloto para reativar a reação a partir dos desígnios imperialistas. 

Por uma América Latina unida pela libertação!

Assunção, 26 de outubro de 2013
Frente Guasu

Portal CTB

Compartilhar: