Mundo vive momento de tensão

Por Anderson Pereira

O professor e sociólogo Lejeune Mirhan considera que o mundo vive um momento de tensão e que pode, sim, acontecer uma guerra a qualquer instante. Segundo ele, a região que desperta mais preocupação é o estreito de Taiwan.

Localizada no sul do mar da China, essa região é cobiçada pelos EUA devido a sua importância marítima. Já os chineses, não pretendem abrir mão do seu território.

“Vivemos num mundo em transição entre a unipolaridade para a multipolaridade. No entanto, nem a unipolaridade acabou e nem a multipolaridade se consolidou”, disse ele, nessa quinta-feira (15), durante um encontro virtual promovido pela Secretaria e Coletivo de Formação CTB-MG. O tema foi a conjuntura política internacional.

Clique aqui e assista na íntegra

Participaram do evento, sindicalistas de Minas Gerais e de todo o país, além da presidenta da CTB-MG, Valéria Morato, o secretário-geral, Gelson Alves da Silva e o secretário de formação, Jota Lacerda.

Segundo o professor Lejeune Mirhan, a ascensão política e econômica da China preocupa o governo dos EUA.

A potência asiática conseguiu retirar 800 milhões de pessoas da pobreza nos últimos 20 anos. Além disso, a China deve superar o PIB per capita dos EUA “nos próximos 4 ou 5 anos, disse o professor.

“A China é, atualmente, o motor da economia mundial. O mundo está ficando menos pobre graças a China”, afirmou ele.

No entanto, o professor lembra que os EUA ainda possuem o maior aparato militar do mundo. Segundo ele, o país norte-americano tem sete frotas navais, enquanto a China terá três em 2022 e sete apenas em 2030.

O professor Lejeune Mirhan também analisou outros assuntos, entre eles o impacto das eleições presidenciais dos EUA no mundo e o bloco dos BRICS (grupo de países formados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Compartilhar: