Mais de 300 personalidades internacionais lançam manifesto por Lula Livre

“Os abusos do poder judiciário contra Lula da Silva configuram uma perseguição política mal disfarçada sob manto legal. Lula da Silva é um preso político. Sua detenção mancha a democracia brasileira. Os defensores da democracia e da justiça social no Oriente e no Ocidente, no Norte e no Sul do globo, devem se unir a um movimento mundial para exigir a libertação de Lula da Silva”, diz trecho do manifesto acompanhado do abaixo-assinado, que pede a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre as 303 assinaturas estão o norte-americano Noam Chomsky, um dos principais intelectuais da atualidade, Angela Davis, escritora norte-americana e ativista feminista e por igualdade racial, Leonardo Padura, escritor e jornalista cubano, Thomas Piketty, destacado economista francês e o economista e professor universitário português Boaventura de Sousa.

A petição lembra que Lula foi condenado em segunda instância e está preso por ser considerado dono de um triplex no Guarujá, no litoral paulista, mesmo sem nenhuma prova.

Leia o manifesto na íntegra e assine a petição pelo link https://chn.ge/2kpoxzi.

“Além de não provar que Lula era proprietário do apartamento, o Ministério Público não pode apontar nenhuma ação ou omissão específica que Lula tenha executado para beneficiar a OAS. Lula havia sido acusado de beneficiar essa empresa com três contratos de fornecimento para a Petrobras. Após meses de investigações, nenhuma prova material nesse sentido foi encontrada. Moro então condenou Lula por ter praticado ‘atos indeterminados de corrupção’ que teriam beneficiado a OAS. Essa categorização inverte o ônus da prova e a presunção de inocência e simplesmente não existe no sistema jurídico brasileiro”, diz outro trecho do manifesto.

Portal CTB. Foto: Francisco Proner

Compartilhar: