FSM denuncia assassinato de líder sindical na Colômbia

A Federação Sindical Mundial (FSM) manifestou seu repúdio ao assassinato do líder sindical colombiano Carlos Alberto Pedraza Salcedo, que foi encontrado morto em uma área despovoada da aldeia de San Bartolomé, em Gachancipá, a 60 quilômetros de Bogotá no dia 21 de janeiro. 

Carlos era graduado pela Universidade Pedagógica Nacional, membro do Projeto Never Again, o Movimento de Vítimas de Crimes de Estado e Congresso dos Povos. A FSM emitiu um comunicado no qual exige a punição dos responsáveis. 

Leia a íntegra da nota:

A Federação Sindical Mundial se dirige à comunidade internacional e denuncia o assassinato de Carlos Alberto Pedraza Salcedo, dirigente popular que formava parte do “Congresso dos Povos”, aparentemente executado pelas forças do Estado.

Expressamos nossa solidariedade com os familiares e seus companheiros e companheiras. A onda de assassinatos de dirigentes sindicais, civis, camponeses, lutadores sociais existe há muito tempo. Na Colômbia, multiplicam-se as ameaças e a perseguição política contra dirigentes populares.

Cada ano centenas de lutadores do movimento sindical e social são assassinados, ameaçados, atacados e os responsáveis seguem impunes. A FSM condena energicamente o assassinato do companheiro Carlos Alberto Pedraza Salcedo.

Chamamos o movimento sindical internacional, os órgãos de proteção e defesa dos Direitos Humanos,  todas as organizações e pessoas a pronunciar-se solidariamente diante desses fatos e exigir ao presidente de Colômbia Juan Manuel Santos que esclareça este crime e puna os responsáveis.

Federação Sindical Mundial 

Compartilhar: