EUA estão por trás dos protestos em Hong Kong, diz China

Governo chinês acusou os EUA de estarem por trás dos violentos protestos em Hong Kong e deixou um aviso: “Hong Kong pertence à China”. As declarações foram feitas pelo ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, através de uma porta-voz, Hua Chunying. “Podemos ver que os EUA estão por trás destes incidentes. Será que os dirigentes norte-americanos conseguem dizer ao mundo, com honestidade, que papel têm desempenhado nesta insurreição e quais os seus objetivos?” Hua Chunying deixou ainda um aviso, para que os Estados Unidos deixem de interferir com assuntos internos, uma vez que “nenhuma interferência externa será permitida”.

A acusação de interferência dos EUA nos protestos que duram há quase dois meses (e começaram por causa de uma proposta relativa à lei da extradição que iria permitir ao governo e aos tribunais da região administrativa especial chinesa a extradição de suspeitos de crimes para jurisdições sem acordos prévios, como é o caso da China continental), não tem sido feita apenas pelo governo chinês.

Segundo o jornal “People’s Daily”, “os incidente violentos em Hong Kong têm sido encorajados pelos EUA”. “Alguns americanos dizem querer ajudar Hong Kong, mas o que querem realmente é criar o caos aqui até ao colapso total da região”, ressalta editorial do jornal. Outros editoriais condenando os protestos e a “interferência externa” têm sido publicados por meios de comunicação chineses ao longo das últimas semanas.

Compartilhar: