Sindimetal-Rio recebe audiência da comissão da verdade em seu 97º aniversário

Aconteceu, na noite da última terça-feira (29), no Palácio dos Metalúrgicos, sede histórica do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (Sindimetal-Rio), uma audiência da Comissão Estadual da Verdade. O objetivo da audiência era colher depoimentos de históricos militantes do Sindimetal-Rio que sofreram com a violência e repressão da Ditadura Militar. O evento serviu como atividade comemorativa dos 97 anos da entidade.

A abertura da atividade foi feita pelo presidente do Sindimetal-Rio, Alex Santos que exaltou a atividade. “Esse ato que hoje se realiza no Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro se reveste de grande importância para a nossa categoria. Estamos aqui para relembrar e saudar a história de antigos militantes e dirigentes sindicais que, nos anos de chumbo da ditadura militar, se dedicaram abnegadamente para mandar alta a bandeira dos trabalhadores. Apesar de toda reação, toda repressão, demissões, mortes, torturas e desaparecimentos, os metalúrgicos souberam honrar a força da classe operária, classe essa que resistiu duramente aos desmandos da ditadura, muitas vezes pagando com a própria vida. Mas não conseguiram. Não podem calar a força das ideias. Não podem impedir a organização da classe trabalhadora”.

O evento seguiu com o pronunciamento do Presidente da OAB-RJ e da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro Wadih Damous que alertou para o fato de que o verdadeiro alvo do Golpe Militar de 1964 era impedir o aprofundamento da democracia brasileira. O presidente da OAB-RJ também lembrou a necessidade de se estudar mais a repressão aos trabalhadores:

“Hoje vemos muitos livros sobre a Ditadura Militar mas poucos que relatam a repressão logo após o golpe, a repressão aos trabalhadores, aos camponeses. Nós, da Comissão Estadual da Verdade, estamos aqui hoje para dar voz e ouvir alguns dos companheiros que lutaram e sofreram naquela época”.

A cerimônia contou com a presença de parlamentares como o Deputado Paulo Ramos (PSOL-RJ), representantes de diversos sindicatos e representantes da  CTB, CUT e Conlutas. O Presidente da CTB-RJ, Ronaldo Leite, em saudação na atividade afirmou que a “audiência é uma coroação de todas as atividades organizadas pelas centrais sindicais e movimentos sociais para descomemorar os 50 anos do golpe.”

Durante a atividade, três militantes do Sindimetal-Rio deram seus depoimentos para a comissão: Valdir Vicente (através de vídeo gravado no sindicato), Nobre (presidente do Grêmio dos Aposentados) e Severino. Os três relataram as barbaridades cometidas pelo regime e exaltaram a resistência do sindicato que nas palavras de Valdir Vicente “nunca se curvou diante dos militares”.

Sindimetal-Rio 

Compartilhar: