Sindimetal-Rio convoca metalúrgicos para ato em defesa do Brasil

O Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (Sindimetal-Rio) convoca toda sua base social para tomar as ruas em defesa da Petrobras e da economia nacional, da reforma política democrática, da democratização da comunicação e da reforma tributária que taxe as grandes fortunas. Somente com a luta dos trabalhadores avançaremos na pauta trabalhista e progressista.

Setores da oposição reacionária, encabeçada pelo PSDB de Aécio Neves, com o auxílio das grandes empresas de comunicação iniciaram, logo após o fim do segundo turno, uma série de manobras golpistas com o objetivo de interromperem o ciclo de conquistas nas áreas econômicas, políticas e sociais, gerar instabilidade política e encurralar a presidenta Dilma Rousseff. Tais movimentações foram fortalecidas pela eleição de Eduardo Cunha como presidente da câmara federal, em uma clara sinalização do fortalecimento não apenas das manobras golpistas, mas do conservadorismo naquela que deveria ser a casa do povo.

O discurso de combate à corrupção utilizado pela oposição reacionária e pelas grandes empresas de comunicação é falso. Seus reais objetivos são dois. O primeiro é tornar bem sucedida uma campanha sistemática pelo desmonte e a privatização da Petrobras. Campanha esta que não é nova, que já foi vista durante a década de 90, nos Governos Collor e FHC, mas que não conseguiu vencer a resistência dos movimentos sociais e populares. O segundo é ignorar a vontade das urnas e a estabilidade do regime democrático.

Defendemos que todas as denúncias devem ser investigadas com rigor e independência dos órgãos competentes e os comprovadamente culpados devidamente punidos. No entanto, não são os trabalhadores que devem pagar essa fatura. Não podemos aceitar que, no momento de ofensiva reacionária, sejamos nós, os trabalhadores e trabalhadoras que lutaram para manter o país no caminho das mudanças, que percamos direitos históricos ou que seja ameaçado o principal patrimônio nacional, a Petrobras. Somos contra as medidas de ajuste fiscal que dificultam o acesso a benefícios trabalhistas como as medidas provisórias 664 e 665 e que também retiram verbas destinadas aos investimentos sociais.

Somos contra o PL 4330/2004, o PL das Terceirizações. E vamos às ruas, pela nossa pauta trabalhista e para dizer não às movimentações golpistas e privatistas que tentam se aproveitar de um momento de instabilidade política para implementar o programa que foi derrotado pelo povo brasileiro nas urnas.

Todos às ruas no dia 13 para derrotar o golpismo e o conservadorismo! Todos às ruas em defesa da Petrobras e dos direitos trabalhistas!

Fonte: Sindimetal-Rio

Compartilhar: