Sindicato dos Bancários de Sergipe comemora 80 anos

A fundação do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb-SE) está umbilicalmente ligada aos movimentos nacional e regional pelo fortalecimento de caixa de pensões e aposentadorias dos bancários.

No mesmo ano e mês em que o Seeb-SE completa 80 anos, o Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Bancários (IAPB) completaria exatos 80 anos de existência. Ainda nesse ano e mês, nos dias 5 e 7, estourou a primeira greve nacional dos bancários.

Esses fatos históricos na vida sindical bancária não são coincidências. “Em julho de 1934, uma das conquistas da primeira greve nacional dos bancários, o IAPB foi instituído no dia 9 e cinco dias depois foi fundado o Seeb-SE, dia 14. O instituto foi extinto em 1967, com a criação do Instituto Nacional de Previdência Nacional (INPS)”, conta o ex-presidente do Seeb-SE, José Souza.

Mutti de Carvalho e Waldemar Piedade

“Ao tempo em que comemoramos os 80 anos de existência do sindicato sergipano reverenciamos a fundação do IAPB. Na Bahia, os companheiros exaltam suas lideranças históricas como a do jornalista, membro da Aliança Nacional Libertadora (ANL) e ex-presidente do sindicato baiano José Mutti de Carvalho. Em Sergipe, estaremos reverenciando personalidades como Waldemar Piedade que também foi membro da ANL e um dos fundadores do sindicato sergipano”, destaca José Souza.

Década de 1930

A intensa história dessa década de lutas é rememorada pelo comunista, bancário e baiano Euclides Fagundes Neves, na obra “Bancos, bancários seeb-livro-euclides-historiae movimento sindical”, editado pela Anita Garibaldi em 1998 e pelo historiador da Universidade Federal de Sergipe, Fábio Maza.

Na década de 1930, enfrentando a repressão, segundo Fábio Maza, os pioneiros do Seeb-SE participaram dos “primeiros passos para a instalação do IAPB, através de cartas e enviando delegados ao Rio de Janeiro para a renovação da diretoria do instituto”.

Em novembro de 1935, o primeiro delegado-eleito para representar a categoria em Sergipe no Congresso Nacional dos Bancários foi Waldemar Piedade. Segundo Euclides Neves, o sergipano iria representar a categoria na renovação anual da direção do IAPB. Fábio Maza conta que no dia 23 de novembro de1935 Waldemar foi preso no Rio de Janeiro (capital federal na época), e conduzido com outros passageiros à chefatura de polícia, sendo três dias depois transferido para a cadeia da rua Frei Caneca onde permaneceu “mais ou menos três meses”.

Fonte: Déa Jacobina, Comunicação do Seeb-SE

Compartilhar: