Protesto dos servidores do RJ exige cumprimento do acordo das 30h

sindsprev rj

 

A CTB foi participou na manhã da segunda-feira (17) do protesto dos servidores da saúde federal do Rio de Janeiro, que ocuparam o 9º andar do prédio onde está situado o núcleo regional do Ministério da Saúde (Nerj). 

 

Os trabalhadores querem ser recebidos em audiência pelo coordenador do Nerj, João Marcelo, de quem exigem o cumprimento de acordo, firmado em fevereiro deste ano, pelo qual o Ministério se comprometeu a respeitar a jornada semanal de 30h e não implementar o ponto eletrônico (controle biométrico) nos hospitais e institutos federais sem uma prévia consulta aos servidores.

“O governo quer desrespeitar os trabalhadores. Não vamos aceitar esse ataque aos direitos da categoria”, afirmou Ronaldo Leite, presidente da CTB-RJ, que participou do protesto acompanhado dos dirigentes cetebistas Celina Maria, Antonio Carlos de Oliveira, Sônia Borges Machado e Claudia Vitalino, além do presidente Ronaldo Leite.

Outra reivindicação dos servidores é que o Ministério implemente, na saúde federal, a tabela salarial atualmente praticada no INSS. A implementação dessa tabela foi prometida pelo Ministro Alexadre Padilha, no primeiro semestre de 2012, mas a promessa jamais foi cumprida. “Não sairemos daqui enquanto o Ministério não cumprir o que prometeu aos servidores. Além da ocupação, vamos discutir a possibilidade de uma greve unificada da saúde, nas três esferas, a partir do dia 8 de janeiro”, afirmou a diretora do Sindsprev, Lúcia Pádua.

sindsprev rj3

Segundo denúncias dos trabalhadores, o Ministério da Saúde está impondo uma jornada semanal de 40h semanais e já teria indicado a adoção do ponto eletrônico a partir do dia 13 de janeiro, em todos os hospitais e institutos federais. Além das 40h e do ponto eletrônico, os servidores rejeitam a tentativa do Ministério de entregar as gestões dos hospitais e institutos à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vista como forma disfarçada de privatização da saúde.

“A greve é a única linguagem que o Ministério da Saúde entende. É a única forma de obrigar o Ministério a cumprir o acordo das 30h e do ponto biométrico e implementar a tabela salarial que queremos”, afirmou o também diretor do Sindsprev/RJ Julio César Tavares.

Durante plebiscito organizado pelo Sindsprev/RJ, de 22 a 24 de outubro deste ano, a maioria de servidores e usuários dos hospitais e institutos federais do Estado do Rio consultados rejeitou a entrega dessas unidades à Ebserh.

A ocupação do Nerj foi iniciada após os servidores da saúde federal terem realizado ato público pelo cumprimento do acordo. A concentração foi na Cinelândia, a partir das 10h, de onde os servidores seguiram, em passeata, até a rua México 128.

Portal CTB com Sindsprev

Compartilhar: